Bombardeios russos contra reduto rebelde de Ghouta Oriental deixam 76 mortos

(Atualiza o número de falecidos)

Beirute, 16 mar (EFE).- Bombardeios de aviões da Rússia e ataques do Exército da Síria contra a região de Ghouta Oriental, o principal reduto da oposição ao governo do país nos arredores de Damasco, deixaram pelo menos 76 civis mortos nesta sexta-feira.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos afirmou que 64 civis, entre eles 13 menores de idade, morreram em ataques de aviões russos contra a cidade de Kafr Batna. As demais vítimas foram registradas nos municípios de Saqba e Harasta.

Segundo a ONG, alguns dos corpos encontrados em Kafr Batna e Saqba, regiões controladas pela facção islamita Legião da Misericórdia, estavam completamente carbonizados.

Os aviões russos teriam utilizado bombas de fragmentação, proibidas por tratados internacionais, de acordo com o Observatório.

Essas bombas estariam carregadas com uma substância química chamada de "termite", que causa queimaduras por entrar em combustão logo depois da explosão, provocando grandes queimaduras.

Os bombardeios coincidem com a saída de milhares de civis de Ghouta Oriental. De acordo com o Observatório, mais de 1.800 pessoas deixaram a região para ir em direção a outras áreas controladas pela Legião Misericórdia através de um corredor humanitário.

Ontem, cerca de 20 mil civis fugiram de Ghouta Oriental.

Com as vítimas de hoje, o número de mortos nos arredores de Damasco subiu para 1.346 desde o dia 18 de fevereiro.

A data marca o início dos bombardeios russos e sírios contra a região, que foram seguidos de uma ofensiva terrestre realizada por tropas leais ao presidente da Síria, Bashar al Assad. EFE