Comece 2021 por dentro das principais tendências de beleza

Talita Duvanel
·2 minuto de leitura

Como será o amanhã? Em termos de beleza, há uma turma esperta que pode responder. Ligados nas mudanças de hábitos nesses tempos de Covid-19, em que as máscaras viraram e vão continuar como acessório indispensável por um bom tempo, eles acreditam que, antes de qualquer tendência de cabelo, make ou unha, é preciso pensar em ressignificação. “Diante do que estamos passando, existe uma quebra de padrões, de tudo que já é estabelecido. É um momento de rever como temos feito as escolhas das roupas, da maquiagem, do cabelo”, diz Rafaella Crepaldi, maquiadora da Nars no Brasil.

Dentro desse momento de reanálise, diz Rafaella, as mulheres estarão mais abertas para abusar das cores — principalmente nos olhos, a área do rosto que continua sendo a de maior exposição numa pandemia sem data para acabar. “Isso vai ser forte em 2021. Mas não com uma paleta de cores muito vivazes. Serão tons mais cintilantes e metalizados. E não de uma forma intensa, mas esfumada e diluída.”

Já nas unhas, o colorido vai ser forte e abundante, sim. Segundo a manicure Roberta Munis, de São Paulo, a palavra de ordem nesse tema é liberdade. “Estamos vindo com uma onda muito livre, nos soltando mesmo, sem medo de errar”, diz ela, listando como potência os tons em néon, azul e lavanda. Em termos de formato, Roberta lista o amendoado como o provável campeão de 2021 e a francesinha como xodó. “Mas o risco inferior não é mais reto. Mesmo que a unha seja quadrada, ele vai ser arredondado”, aponta.

Para quem está pensando no que fazer com as madeixas, pode vasculhar o Instagram das atrizes Bruna Marquezine e Juliana Paes para se inspirar. Elas são donas do shaggy, corte que promete ser “o tal” nos próximos meses. Segundo o cabeleireiro Tiago Parente, do salão Care, em Ipanema, ele é todo desfiado em camadas, com uma franja mais longa. Seu ponto alto é a versatilidade: vai bem do liso ao encaracolado. “É uma inspiração dos anos 1990. Perfeito para quem está em transição capilar, como a Marquezine. Dá para tirar bastante da química antiga”, diz Tiago.

No quesito cor, o louro, segundo o cabeleireiro Felipe Freitas, do Fil Hair & Experience, em Ipanema, segue firme nas cabeças, em maior ou menor grau. Vai depender da cor da pele e do cabelo original da mulher. “Ele vem dourado bem natural e bem distribuído. Se a pessoa tiver o cabelo mais escuro, fazemos (mechas) só em alguns pontos. Se já for loura, damos uma variada num tom mais acinzentado”, diz Felipe, que já vinha recebendo, no fim do ano passado, pedidos de tons mais quentes.

Se o ano é novo, quem sabe o visual também não pode ficar diferente?