Comemorações do Flamengo terminam com confusão na dispersão, no Centro

Confusão na Avenida Presidente Vargas teve início após dispersão

Um tumulto generalizado ocorreu por volta das 16h25 durante as comemorações do Flamengo pela conquista da Taça Libertadores das Américas no Centro do Rio. Um grupo de populares, muitos com os rostos cobertos, começaram a arremessar pedras e outros objetos em direção a  Polícia Militar. Os PMs, por sua vez, revidaram bom bombas de gás lacrimogênio. Os incidentes ocorreram na altura do  prédio Balanço Mais não Cai. Houve correrria entre o público. Antes do início do tumulto, o ônibus do Flamento desviou da Avenida Presidente Vargas e seguiu pela contramão da Rua de Santanna, que já estava interditada.

Após o início da ação, torcedores que seguiam o time reclamam da truculência da Polícia Militar:

- Estava tudo tranquilo e cheio de crianças e aí a PM começou a jogar bombas de gás e efeito moral. Estão acabando com uma festa linda - lamentou o porteiro Felipe Santos.

Na confusão que se formou na Avenida Presidente Vargas, uma viatura da Guarda Municipal deu ré e atropelou um agente. Nesse momento, o trio elétrico onde estava o time do Flamengo saiu da avenida e, por vias menores, levou os atletas ao Batalhão de Choque, na Rua Frei Caneca. O governador Wilson Witzel também estava na comitiva, e, assim como os jogadores, desceu do veículo no edifício da Polícia Militar.