Comentários de Biden sobre usinas de carvão são criticados por Manchinz

Por Trevor Hunnicutt

JOLIET, Ill. (Reuters) - Os comentários do presidente Joe Biden sobre fechar usinas de energia alimentadas por carvão, dias antes das eleições de meio de mandato, atraíram críticas neste sábado de um importante senador democrata conservador.

“Ninguém está construindo novas usinas de carvão porque eles não podem depender disso, mesmo se tiverem carvão garantido para o resto das suas existências na usina”, disse Biden nesta sexta-feira, em um evento para divulgar as políticas econômicas do seu governo em Carlsbad, Califórnia.

“Nós fecharemos essas usinas em todo os Estados Unidos e teremos vento e (energia) solar”.

O comentário destacou uma questão política delicada para Biden e seus colegas democratas - a inflação perto do pico de quatro décadas - que os eleitores dizem ser sua maior preocupação. Os altos custos de energia, após a guerra da Rússia na Ucrânia, ajudaram a elevar os preços, junto com a recuperação econômica da pandemia de Covid-19.

A Pensilvânia, onde Biden deve fazer campanha ainda neste sábado, é uma grande produtora e consumidora de carvão. As eleições de meio de mandato de terça-feira determinarão se os democratas manterão controle do Congresso e dependem de disputas como a por uma vaga aberta no Senado pela Pensilvânia.

O senador Joe Manchin, que representa a produtora de carvão Virgínia Ocidental, disse que os comentários de Biden foram “ultrajantes e dissociado da realidade” e que também descartam a “severa dor econômica que o povo norte-americano está sentindo por causa do crescimento dos custos de energia”.

(Por Trevor Hunnicutt)