Comentarista deixa transmissão da Copa ao saber da morte da mãe

Nadia Nadim defende a Dinamarca e estava comentando jogo da Copa por TV inglesa. Foto: Aurelien Meunier - PSG/PSG via Getty Images
Nadia Nadim defende a Dinamarca e estava comentando jogo da Copa por TV inglesa. Foto: Aurelien Meunier - PSG/PSG via Getty Images

Nadia Nadim, futebolista dinamarquesa que colabora como comentarista durante a Copa do Catar 2022 para o canal britânico ITV, teve de abandonar a transmissão do jogo entre Dinamarca e Tunísia ao saber do falecimento da mãe.

A jogadora de futebol de 34 anos do Racing Louisville (Estados Unidos) estava comentando o jogo, mas não apareceu mais nas imagens dos comentários após a partida.

Leia também:

A ITV confirmou que Nadia havia deixado o estúdio mais cedo, mas inicialmente se recusou a explicar os motivos de sua ausência antes de anunciar a morte de sua mãe.

O relatório da polícia afirma que Hadima Nadim, de 57 anos, morreu instantaneamente após ser atingido pelas costas por uma escavadeira. A versão foi confirmada pela jogadora em suas redes sociais.

"Na manhã de terça-feira, minha mãe foi morta por um caminhão. Ela voltava da academia. Palavras não podem descrever o que estou sentindo. Perdi a pessoa mais importante da minha vida e aconteceu de repente e inesperadamente. Ela tinha apenas 57 anos e era uma guerreira que lutou por cada centímetro de sua vida. Ela me deu vida não uma, mas duas vezes, e tudo o que somos é por causa dela. Perdi minha casa e sei que nada jamais será o mesmo novamente. A vida é injusta e não entendo por que ela e por que dessa forma. Eu te amo e te vejo de novo", compartilhou a ex-jogadora do Manchester City e do PSG.

Após a manifestação da jogadora, a emissora se manifestou prestando apoio à comentarista.

"Todos na ITV, aqueles que trabalham com Nadia no Catar e a empresa como um todo, estão profundamente chocados e tristes com esta trágica notícia. Oferecemos a Nadia nosso apoio e nossos pensamentos estão com ela e seus entes queridos neste momento incrivelmente difícil", escreveu a ITV.

O jornal inglês 'Daily Mail' relatou que Nadia e sua mãe fugiram do Afeganistão quando a jogadora tinha apenas 11 anos, depois de se esconder por três anos quando o Talibã executou seu pai, um general do exército.