Comer queijo com moderação faz bem ao coração, diz estudo

Luiza Belloni
Laticínios contêm nutrientes que também são bons para o coração, como aminoácidos específicos, gorduras insaturadas, vitamina K1 e K2, cálcio, magnésio e potássio.

Aos amantes de um bom queijinho, relaxem: comer produtos lácteos com moderação ajuda, na verdade, a proteger seu coração, segundo uma nova pesquisa da Universidade canadense McMaster.

Ao The Guardian, a doutora e pesquisadora Mahshid Dehghan explicou que o consumo de queijos, iogurtes, leites e derivados, em uma quantidade moderada -- uma média de três porções por dia --, pode proteger o coração de doenças cardiovasculares, em vez de fazer mal à saúde.

"Nós encorajamos as pessoas que têm um consumo muito baixo destes produtos a aumentar o consumo", disse Dehghan, contestando a recorrente preocupação da população sobre estes produtos. A preocupação com os laticínios está relacionada à gordura saturada, que pode aumentar os níveis de colesterol LDL, considerado o colesterol "ruim" e ligado às doenças cardíacas.

Por outro lado, laticínios contêm nutrientes que também são bons para o coração, como aminoácidos específicos, gorduras insaturadas, vitamina K1 e K2, cálcio, magnésio e potássio.

O consumo em excesso, contudo, não é aconselhável. De acordo com os autores do estudo, a supernutrição é um problema tão grande quando a subnutrição. Os alimentos que contêm gorduras saturadas são ricos em calorias, o que pode levar à obesidade -- e assim desencadear doenças crônicas como pressão alta, diabetes, colesterol, etc.

"Não encorajamos as pessoas que têm de seis a sete porções diárias para aumentar o consumo", disse Dehghan. "A mensagem do estudo é moderação".

O estudo foi publicado na revista científica The Lancet e contou com mais de 135.000 pessoas em 21 países em todo o mundo, do Canadá, Suécia, Tanzânia e até mesmo o Brasil. Os participantes tiveram que relatar sua rotina alimentar por anos e foram classificados por categorias de alta, média e baixa ingestão de lácteos.

Após anos de acompanhamento, os pesquisadores descobriram que as pessoas que consumiam, em média, três porções de...

Continue a ler no HuffPost