Comerciários do Rio não sindicalizados terão reajuste de 10% dividido em duas etapas; Simerj também assina acordo coletivo

Os cerca de 12 mil comerciários do município do Rio que não são sindicalizados terão reajuste salarial de 10% a partir da folha de agosto, que é paga em setembro. A convenção coletiva da categoria foi assinada no último dia 15 pelos presidentes da Fecomércio RJ, Antonio Florencio de Queiroz Junior, e do Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio, Márcio Ayer Côrrea.

O reajuste será dividido em duas etapas. Sendo 5% referentes ao período de maio a agosto, que sairá na folha de agosto, e o restante em setembro. Os salários acima do piso, até o limite de R$ 5.200, também serão reajustados em 10% em duas etapas.

— O retroativo de 5% de maio a agosto será pago na folha de agosto, e a partir de 1º de setembro o comerciário já recebe 10%. Ou seja, na folha de agosto ele receberá 20% referente ao retroativo e na folha de setembro ele irá receber o salário reajustado em 10% — explica a federação.

Com o reajuste, os empregados passam a ter um piso salarial de R$ 1.374, de 1º de maio a agosto de 2022, passando para R$ 1.439, de 1º de setembro de 2022 a abril de 2023. Têm direito ao novo piso, funcionários que recebem salário fixo, com tarefas pertinentes ao comércio de varejo, pessoal de escritório e operador de telemarketing e similares com atribuição de vendas.

Os trabalhadores que recebem por comissão (comissionistas) passam a ter a garantia mínima de R$ 1.510, de 1º de maio a agosto de 2022, e de R$ 1.582, de 1º de setembro de 2022 a abril de 202

3. Os empregados admitidos em período de experiência de 90 dias receberão pisos de R$ 1.235 (de 1º de maio a agosto de 2022) e de R$ 1.294 (de 1º de setembro de 2022 a abril de 2023).

A convenção coletiva assegura ainda aos vendedores comissionados uma ajuda de custo de R$ 33 por mês. Para qualquer trabalho aos sábados a partir das 14h30, os empregados receberão R$ 27,50 para o lanche, e a partir das 18h30, o mesmo valor para o jantar.

As empresas que oferecem tíquete alimentação ou alimentação in natura aos seus funcionários estão isentas de pagar os valores para lanche e jantar.

Os presidentes do Sindicato do Comércio Varejista de Material Elétrico, Eletrônicos e Eletrodomésticos do Rio (Simerj), Antonio Florencio de Queiroz Junior, e do Sindicato dos empregados no Comércio do Rio, Márcio Ayer Côrrea, assinaram nesta terça-feira (dia 19) a Convenção Coletiva de Trabalho 2022/2023 da categoria.

Os 18 mil empregados de lojas de material elétrico, eletrônicos e eletrodomésticos do município do Rio terão um reajuste salarial de 10% a partir de outubro e abono de R$ 650 pagos em duas parcelas de R$ 325, nas folhas de agosto e setembro. O piso salarial passa a ser de R$ 1.439 a partir de outubro.

Outro ponto negociado foi a manutenção das demais cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho reajustada em 10%. Na CCT, o benefício social familiar passa para R$ 16 e o lanche para R$ 27,50, a partir de 1º de setembro.

— Buscamos com esse novo acordo apoiar as empresas dentro do cenário econômico atual e fortalecer o comércio e comerciários nesse momento delicado em função dos desdobramentos da pandemia — destacou o presidente do Simerj, Antonio Florencio de Queiroz Junior.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos