Comerciante é preso por matar o genro após desconfiar que vítima assediou a cunhada

O comerciante Alexandre da Silva Nunes, de 45 anos, foi preso na manhã desta quarta-feira por policiais da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSGI) por suspeita de ter matado com uma facada o genro, Pedro Henrique Azevedo da Silva, no último dia 31 de dezembro, em uma festa de réveillon em Maricá, na Região Metropolitana do Rio. De acordo com as investigações, o crime foi cometido após uma discussão por desconfiança de que a vítima estivesse dando em cima da cunhada, irmã de sua esposa. Pedro foi morto a facadas.

Veja vídeo: Após esquartejar mulher no Rio, marido tentou quebrar câmera de segurança ao esconder o corpo

Perícia confirma: Corpo encontrado na Zona Sul do Rio é de alemão que entrou nu em mar de Copacabana

Alexandre teve a prisão temporária decretada pela Justiça e foi capturado em um hotel de Niterói. Ele foi preso no momento em que se dirigia ao restaurante do hotel para tomar café da manhã.

Em depoimento, a esposa da vítima e filha do autor relatou que um homem que estava na festa disse a seu pai, Alexandre, que Paulo Henrique estava "flertando" com sua irmã. Ainda segundo ela, Alexandre, "indignado e sob o efeito de álcool", iniciou uma discussão com o marido dela, que negava estar dando em cima da cunhada.

Em determinado momento, seu pai, com um facão na mão, partiu para cima de Pedro, que estava sentado na calçada em frente à casa com um pedaço de madeira. Ainda de acordo com o relato, Alexandre deu uma facada na vítima, que tentou correr, mas acabou caindo no chão.

Investigação: Polícia prende mulheres suspeitas de matarem guia de turismo a facadas no Centro do Rio

Outra testemunha relatou aos investigadores que a briga teve início depois de um dos convidados da festa — que foi organizada por Alexandre — ter insinuado que Pedro estava fazendo brincadeiras maliciosas com a cunhada. Segundo ele, em determinado momento teve início uma confusão generalizada no quintal da casa. Depois, todos foram para a rua. O homem afirma ter visto a vítima buscando um pedaço de madeira, mas não presenciou a mesma sendo golpeada pelo sogro.

Depoimentos: Mulheres que mataram guia de turismo a facadas pediram ajuda a ex-marido de uma delas para fugirem

A prisão temporária de Alexandre foi decretada pelo Plantão Judiciário, no dia 2 de janeiro, após as testemunhas terem sido ouvidas. A vítima tinha 20 anos e sua esposa, 25. Eles estavam juntos há cerca de três anos.