Comissão de Ética da CBF nega retorno da Caboclo à presidência

·1 minuto de leitura

A Comissão de Ética da CBF negou agora há pouco o pedido feito por Rogério Caboclo para que ele retornasse ao cargo. Além disso, a comissão também prorrogou por mais 60 dias a investigação das acusações de assédio sexual e moral feita por um funcionária da CBF contra ele.

O afastamento de Caboclo, determinado pela Comissão, terminaria na segunda-feira. A defesa de Caboclo afirmou que não foi notificada da decisão.

Essa é a segunda decisão desfavorável à Caboclo na mesma semana. Na quinta-feira, os diretores da CBF já haviam prorrogado o seu afastamento por mais 60 dias. Na prática, Caboclo fica longe da CBF até setembro. No entanto, a decisão pode ser revista pela própria Comissão de Ética ou pela Assembleia Geral, caso o caso seja levado a votação.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos