Comissão da Câmara quer convocar ministro da Educação por interferência política no Inep

·1 min de leitura

Os deputados da comissão de Educação da Câmara dos Deputados pretendem convocar nesta semana o ministro da Educação, Milton Ribeiro, para dar explicações sobre a debandada de servidores do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Texeira (Inep), responsável por cuidar das provas do Enem e do Enade.

O pedido deve ser votado em sessão desta terça-feira na comissão. A presidente do comitê, deputada professora Dorinha (DEM-TO), afirmou que o ministro "já se comprometeu a ir". O requerimento, que havia sido pedido por mais de três parlamentares na semana passada, ganhou força com as denúncias trazidas à tona pelo Fantástico e pela declaração dada hoje pelo presidente Jair Bolsonaro que as questões do Enem agora "começam a ter a cara do governo".

- A frase do presidente é uma assinatura de culpa, a prova que eles não têm a menor noção. O presidente comprovou o que estamos denunciando há meses, que há interferência política na prova do Enem - disse o deputado Israel Batista (PV-DF), presidente da Frente Mista de Educação - Não é papel do Enem ter cara de governo A ou B. A prova é uma política de Estado - completou.

Em reportagem do Fantástico publicada neste domingo, servidores do Ministério da Educação relataram tentativas de interferência política por parte da direção na elaboração do conteúdo das provas que serão realizadas nos dias 21 e 28 de novembro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos