Comissão da ONU acusa Rússia por crimes de guerra na Ucrânia

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma comissão de inquérito da ONU acusou a Rússia nesta sexta-feira (23) de cometer crimes de guerra, incluindo tortura, estupro, confinamento de crianças e execuções sumárias, nos territórios ocupados desde o início do da Guerra da Ucrânia, há sete meses.

O grupo que conduziu as investigações levou acusações diretas Moscou ao Conselho de Direitos Humanos da ONU —representantes russos esvaziaram a bancada e não responderam às denúncias.

"Com base nas evidências coletadas pela comissão, concluiu-se que crimes de guerra foram cometidos na Ucrânia, disse o presidente do corpo investigativo, Erik Mose. Apesar de não ter se manifestado oficialmente após a apresentação do relatório, Moscou nega as acusações e diz que elas fazem parte de uma campanha de difamação.

O inquérito se concentrou em denúncias na região de Kiev, Tchernihiv, Kharkiv e Sumi. O relatório, no entanto, não aponta responsáveis pelos crimes, alimentando a discussão sobre a ineficácia da ONU como mediadora para o fim da guerra.

Criado no primeiro mês do conflito, o comitê visitou 27 localidades e entrevistou mais de 150 vítimas e testemunhas. Ao final do mandato, em março de 2023, deve submeter um relatório final ao órgão da ONU recomendações para responsabilizar e punir, com efeito, aqueles que forem indicados como culpados.