Comissão da Verdade de SP afirma que JK foi morto pela ditadura

Relatório que será apresentado pelo vereador Gilberto Natalini (PV), presidente da Comissão Municipal da Verdade de São Paulo, concluiu que não restam dúvidas de que Juscelino Kubitschek, ex-presidente da República, foi assassinado pela ditadura militar. JK morreu em 1976 após um acidente de carro.

Leia também:
Prefeitura de SP busca dados de vítimas da ditadura
Campanha vai orientar negros perseguidos na ditadura

De acordo com o relatório, existem mais de 90 provas coletadas de que JK foi vítima de um atentado planejado pelos militares. O acidente aconteceu em 22 de agosto de 76, na rodovia Presidente Dutra, na região de Resende (RJ).

Entre os testemunhos coletados pelo relatório está o de Josias Nunes Oliveira, que dirigia o ônibus que bateu contra o Opala de JK na noite de 22 de agosto. O ex-presidente foi um dos primeiros alvos políticos da ditadura, tendo perdido em 1964 o cargo de senador por Goiás que tinha. Em 1966 ele foi responsável, ao lado de Carlos Lacerda e João Goulart, pela tentativa de redemocratização do país em uma frente que não deu certo.