Comissão Europeia prevê alta do PIB de 5% e inflação de 2,4% na Eurozona este ano

·2 min de leitura
O Comissário Europeu para a Economia, Paolo Gentiloni, anuncia as previsões do outono em 11 de novembro de 2021 em Bruxelas (AFP/John Thys)

A Comissão Europeia elevou ligeiramente sua previsão de crescimento do PIB da Zona do Euro para 2021 nesta quinta-feira(11), de 4,8% para 5%, enquanto reduziu a expectativa para 2022 de 4,5% para 4,3%.

Num extenso relatório econômico publicado em Bruxelas, a Comissão indicou que a tendência de expansão deve continuar apesar dos "ventos contrários", especialmente as incertezas devidas à pandemia do coronavírus.

“A recuperação continua a depender em grande medida da evolução da pandemia, tanto dentro como fora da UE”, alertou o comissário europeu para a Economia, Paolo Gentiloni.

Em relação à inflação, Gentiloni observou que os recentes aumentos de preços foram "em grande parte vinculados à reabertura após a pandemia" e "ainda devem ser transitórios".

A alta dos preços da energia, disse o funcionário italiano, parece ter ultrapassado o pico de crescimento, mas fazer previsões "é um trabalho difícil nestes tempos, por isso temos de acompanhar a situação", acrescentou.

A inflação na zona do euro não para de subir desde junho, atingindo 3% em agosto e 3,4% em setembro, com alta de 4,1% em outubro.

A economia europeia voltou a crescer no primeiro semestre e prosseguiu em ritmo sustentável após a retirada das restrições sanitárias que afetavam serviços como hotelaria, viagens, bares e restaurantes.

As medidas de contenção da pandemia de coronavírus levaram o bloco a uma recessão histórica em 2020.

-Problemas de abastecimento -

A expectativa é de que o pacote de estímulo da UE para a recuperação pós-pandemia apoie os investimentos públicos e privados.

A Comissão, no entanto, admite que o cenário continua afetado por interrupções evidentes nas cadeias de abastecimento, que têm um impacto significativo no setor manufatureiro.

Segundo a Comissão Europeia, a recuperação do consumo será uma das bases para impulsionar a expansão.

- Mercado de trabalho -

O relatório da Comissão também destacou a criação de cerca de 1,5 milhões de empregos no segundo trimestre deste ano.

A Comissão espera uma redução do desemprego em 2022.

Para o conjunto da UE (ou seja, considerando também os países do bloco que não adotam a moeda comum) a taxa de desemprego atingiu 6,8% em agosto, quase se recuperando ao nível do final de 2019, antes da pandemia.

No caso específico da Espanha, a Comissão Europeia baixou a expectativa de crescimento do PIB para 4,6% neste ano e 5,5% no próximo.

No seu anterior relatório de previsões econômicas, divulgado em julho, a Comissão indicava uma expectativa de avanço do PIB espanhol de 6,2% para 2021 e de 6,3% para o próximo ano.

ahg/me/jc

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos