Comissão Federal dos EUA quer a exclusão do TikToK das lojas da Apple e do Google

Comissão Federal dos EUA quer a exclusão do TikToK das lojas da Apple e do Google (Foto: Ilustração por Sheldon Cooper/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
Comissão Federal dos EUA quer a exclusão do TikToK das lojas da Apple e do Google (Foto: Ilustração por Sheldon Cooper/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
  • A solicitação foi feita por meio de uma carta enviada aos CEO’s da Apple e do Google;

  • A carta referência a áudios vazados de reuniões internas entre funcionários americanos do TikTok;

  • TikTok teria armazenado dados pessoais de usuários de setembro de 2021 até janeiro deste ano;

Devido a preocupação com armazenamento de dados, Brendan Carr – membro republicano sênior da Comissão Federal de Comunicações dos EUA (FCC) – recomendou a remoção do aplicativo de vídeo TikTok das lojas de aplicativos da Apple e do Google. A solicitação foi enviada por meio de uma carta endereçada ao CEO da Apple, Tim Cook, e ao CEO do Google, Sundar Pichai.

A carta de Carr fez forte referência a uma reportagem recente detalhando áudio vazado de reuniões internas entre funcionários americanos do TikTok, revelando que funcionários da empresa controladora ByteDance na China tinham acesso regular e abrangente a dados não públicos de usuários .

Carr comparou os recursos de compartilhamento de vídeos e memes do TikTok a “roupas de ovelha” destinadas a distrair de práticas de privacidade questionáveis.

“Em sua essência, o TikTok funciona como uma ferramenta de vigilância sofisticada que coleta grandes quantidades de dados pessoais e confidenciais”, escreveu Carr. “De fato, o TikTok coleta tudo, desde históricos de pesquisa e navegação até padrões de pressionamento de teclas e identificadores biométricos, incluindo impressões faciais… e impressões de voz.”

“Está claro que o TikTok representa um risco de segurança nacional inaceitável devido à sua extensa coleta de dados combinada com o acesso aparentemente não controlado de Pequim a esses dados confidenciais”, escreveu Carr na carta, que foi postada em sua conta no Twitter .

“Portanto, estou solicitando que você aplique o texto simples de suas políticas de loja de aplicativos ao TikTok e remova-o de suas lojas de aplicativos por não cumprir esses termos”, acrescentou Carr.

TikToK teve acesso a dados de usuários dos EUA

Uma reportagem bombástica do Buzzfeed News detalhou gravações de áudio vazadas de dezenas de reuniões que sugeriam que a ByteDance, com sede em Pequim, tinha maior acesso aos dados de usuários dos EUA do que se sabia anteriormente. Os funcionários chineses foram capazes de acessar dados de pelo menos setembro de 2021 a janeiro deste ano.

O relatório citou o áudio de uma reunião de setembro de 2021 na qual um diretor do TikTok se referiu a um engenheiro não identificado da ByteDance na China como um “administrador mestre” que “tem acesso a tudo”. Em outra reunião, um funcionário do departamento de Confiança e Segurança do TikTok supostamente disse que “tudo é visto na China”.

Horas antes da publicação do Buzzfeed surgir, o TikTok anunciou que havia migrado dados de usuários dos EUA para servidores executados pela Oracle. A empresa disse que tem um forte compromisso em proteger a privacidade de seus usuários nos EUA.

“Como declaramos publicamente, trouxemos especialistas em segurança interna e externa de classe mundial para nos ajudar a fortalecer nossos esforços de segurança de dados”, disse um porta-voz do TikTok em um comunicado em resposta a reportagem do Buzzfeed. “Esta é uma prática padrão do setor, dada a complexidade dos desafios de segurança de dados.”

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos