Comissão técnica de Crespo fica muito a perigo no São Paulo

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Crespo ao lado dos cinco argentinos que compõem sua comissão técnica no São Paulo (Arquivo pessoal)
Crespo ao lado dos cinco argentinos que compõem sua comissão técnica no São Paulo (Arquivo pessoal)

A diretoria do São Paulo não vai confirmar publicamente, mas, se Hernán Crespo corre risco de demissão, seus auxiliares estão bem mais ameaçados. O Blog apurou que os dirigentes do Tricolor chegaram a cogitar a dispensa de parte da equipe do treinador em caso de derrota para o Atlético-MG, no último sábado. Houve empate em 0 a 0, no Morumbi.

Depois de uma série de avaliações internas, que contaram com pareceres de diretores e jogadores, ficou latente o descontentamento com o preparador físico Alejandro Kohan, seu filho Tobias Kohan, que é auxiliar técnico, e com o preparador de goleiros, Gustavo Nepote.

Leia também:

A decepção com Kohan se dá pelo excesso de lesões musculares do elenco. Pior: Crespo se viu obrigado mais recentemente a exigir menos fisicamente nos treinos e a consequência é um time bem distante do estilo agressivo dos primeiros meses de 2021.

A presença do filho de Kohan também causa estranheza em vários atletas. Já em relação a Nepote, as críticas são sobre o modelo dos treinos e a queda vertiginosa de rendimento de Tiago Volpi nas últimas semanas - o goleiro teve participação decisiva nas eliminações da Libertadores e da Copa do Brasil.

Vale lembrar que Crespo tem contrato com o São Paulo até dezembro de 2022 e sua multa rescisória é de US$ 750 mil ou R$ 4 milhões. O argentino e toda sua comissão custam R$ 1 milhão por mês.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos