Comitê de Blitze fecha bingo no centro e festa clandestina na Zona Leste de São Paulo

O Globo
·2 minuto de leitura

O Comitê de Blitze do Governo do Estado e da Prefeitura de São Paulo fechou um bingo clandestino no bairro de Santa Cecília, na região central de São Paulo na noite desta sexta-feira (9). A jogatina acontecia dentro de um estalecimento localizado no número 37 da Rua Dona Veridiana, nas proximidades do Largo de Santa Cecília. Foram apreendidas 52 máquinas de vídeo bingo. No momento da operação, havia 94 pessoas (56 mulheres e 38 homens) no local.

Jogos de azar são proibidos no Brasil. Além disso, no local não havia saída de emergência ou ventilação, o que indica descumprimento das medidas sanitárias impostas para frear a propagação do coronavírus. O responsável pelo bingo clandestino foi levado à delegacia, onde foi registrado um termo circunstanciado por contravenção por jogos de azar e descumprimento das medidas preventivas.

Ainda na noite de sexta, a Viligilância Sanitária também autuou uma festa clandestina Guaianazes (extremo leste da cidade), um bar e uma lanchonete na Aclimação (região central) e uma tabacaria na Água Branca (Zona Oeste). No total, 26 estabelecimentos foram inspecionados no município de São Paulo, sendo três fechados e 16 pessoas presas.

Em Guaianazes, 77 pessoas (a maioria delas jovem e 47 sem máscara) se aglomeravam numa balada. Elas vão responder pelo crime de descumprimento de medida sanitária preventiva, previsto no artigo 268 do Código Penal. Foram apreendidos equipamentos de som, máquinas de cartão e instrumentos musicais. O local não era ventilado. O deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) acompanhou a operação.

O Comitê de Blitze foi criado no dia 12 de março, pelo Governo do Estado em parceria com a Prefeitura de São Paulo, para reforçar a fiscalização e o cumprimento das medidas restritivas adotadas para evitar a propagação do coronavírus.

Aglomeração litorânea

Na noite de sexta e na madrugada deste sábado (10), a Polícia Militar, em conjunto com a Vigilância Sanitária, também atuou de forma preventiva no litoral e no interior de São Paulo. Em todo o Estado, foram flagrados 392 pontos de aglomeração e realizadas 1.671 dispersões. Mais de 47,5 mil veículos foram vistoriados e 114 pessoas foram presas, sendo que 76 eram procuradas pela Justiça.

Desde o início do toque de restrição, em 26 de fevereiro, a PM paulista realizou 5,8 mil operações em todo o Estado. No total, 4,9 mil pessoas foram presas, sendo 3,2 mil procurados pela Justiça. No mesmo período, o Procon realizou 6,6 mil fiscalizações com 405 autuações.

No Estado de São Paulo, aglomerações e funcionamento irregular de establecimentos comerciais não essenciais podem ser denunciados pelo telefone 0800-771-3541, pelo no site www.procon.sp.gov.br ou pelo e-mail secretarias@cvs.saude.sp.gov.br, do Centro de Vigilância Sanitária.