Comitê da Câmara dos Deputados dos EUA divulgará declarações fiscais de Trump

Ex-presidente dos EUA Donald Trump, em Nova York

Por Moira Warburton

(Reuters) - Um comitê da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, controlado por democratas, deve divulgar ao público seis anos de declarações fiscais do ex-presidente Donald Trump nesta sexta-feira, em uma ação extraordinária dias antes de os republicanos assumirem o controle da Câmara.

A divulgação dos documentos de Trump para os anos de 2015 a 2020 encerrará uma batalha de vários anos entre o ex-presidente republicano e os legisladores democratas.

O presidente do Comitê de Formas e Meios da Câmara, Richard Neal, solicitou as declarações em 2019, argumentando que o Congresso precisava vê-las para determinar se a legislação sobre os retornos presidenciais era necessária.

Trump, que assumiu o cargo em 2017, foi o primeiro candidato presidencial em décadas a não liberar seus impostos e processou o comitê em um esforço para mantê-los privados. A Suprema Corte decidiu em novembro a favor do comitê.

Em um relatório na semana passada, o comitê delineou suas conclusões a partir do exame dos documentos, dizendo que o órgão fiscalizador do país, o IRS, quebrou suas próprias regras ao não auditar Trump por três dos quatro anos enquanto ele era presidente.

Os registros mostram que a renda e as responsabilidades fiscais de Trump flutuaram drasticamente de 2015 a 2020, durante sua primeira candidatura presidencial e subsequente mandato. Eles mostram que Trump e sua esposa Melania reivindicaram grandes deduções e perdas e pagaram pouco ou nenhum imposto de renda em vários desses anos.

Os democratas estão com um cronograma apertado para encontrar uma maneira de lidar com os documentos desde que os obtiveram, já que os republicanos assumirão o controle da Câmara em 3 de janeiro, depois de terem vencido por uma pequena margem nas eleições de meio de mandato de novembro.

(Reportagem de Moira Warburton em Vancouver)