Comitê do FMI deixa de emitir comunicado após Rússia bloquear linguagem sobre a guerra

·1 min de leitura

(Reuters) - A recusa da Rússia em concordar com uma linguagem forte condenando sua guerra na Ucrânia impediu que o comitê que assessora a diretoria executiva do Fundo Monetário Internacional (FMI) emitisse um comunicado formal durante sua reunião desta semana, disse a presidente do comitê nesta quinta-feira.

"A guerra da Rússia contra a Ucrânia tornou impossível chegar a um consenso sobre um comunicado", disse a ministra espanhola da Economia, Nadia Calviño, em uma coletiva de imprensa durante as reuniões do FMI e do Banco Mundial, em Washington.

Em vez disso, Calviño leu um comunicado sintetizando a reunião do comitê. Na quarta-feira, uma reunião controversa de autoridades financeiras do G20 também não resultou em um comunicado devido ao desacordo com a Rússia.

O Comitê Monetário e Financeiro Internacional (IMFC, na sigla em inglês) de 24 membros se reúne duas vezes ao ano nos encontros de primavera e outono do FMI e do Banco Mundial, e assessora a diretoria do FMI.

Embora não tenha poderes formais para tomada de decisão, os comunicados regulares do IMFC fornecem orientação estratégica para o trabalho do Fundo.

(Reportagem de Andrea Shalal, Dan Burns e Lindsay Dunsmui)

((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447702)) REUTERS AC IV

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos