Comitê do Senado dos EUA avança para nomeação da candidata de Trump à Suprema Corte

·1 minuto de leitura
Juíza Amy Coney Barrett no Senado americano, em 13 de outubro de 2020, em Washington, D.C.
Juíza Amy Coney Barrett no Senado americano, em 13 de outubro de 2020, em Washington, D.C.

O Comitê Judiciário do Senado dos Estados Unidos deu, nesta quinta-feira (22), um primeiro passo para a nomeação da juíza conservadora Amy Coney Barret, proposta pelo presidente Donald Trump para a Suprema Corte.

A votação unânime, com todos os democratas ausentes, deixa o caminho aberto para que o plenário do Senado aprove Barret definitivamente na segunda-feira.

Com seu ingresso, a Suprema Corte dará uma notável guinada à direita.

Na quarta-feira, os democratas chamaram o processo apressado de confirmação da juíza de "farsa". Argumentaram que as velhas promessas dos republicanos de não votar em indicações à Suprema Corte tão perto de uma eleição presidencial foram quebradas.

"Não daremos legitimidade participando do processo de indicação do comitê a apenas 12 dias da conclusão de uma eleição que já está em andamento", disseram os democratas em um comunicado.

O presidente do comitê, o senador republicado Lindsay Graham, ignorou esse pronunciamento e aproveitou a ausência para proceder à votação da indicação quatro horas antes do previsto.

"Eles escolheram isso", disse antes da votação. "Eu escolho seguir em frente com a indicada. Não vamos permitir que eles assumam o comitê", completou.

chp-an/ll/tt/aa