Como a Volkswagen quer enfrentar a Tesla nos carros elétricos

·4 min de leitura
A worker wears a protective mask at the Volkswagen assembly line after VW re-starts Europe's largest car factory after coronavirus shutdown in Wolfsburg, Germany, April 27, 2020, as the spread of the coronavirus disease (COVID-19) continues.    Swen Pfoertner/Pool via REUTERS
A worker wears a protective mask at the Volkswagen assembly line after VW re-starts Europe's largest car factory after coronavirus shutdown in Wolfsburg, Germany, April 27, 2020, as the spread of the coronavirus disease (COVID-19) continues. Swen Pfoertner/Pool via REUTERS
  • Volkswagen tenta entrar na competição com Tesla pela liderança nos carros elétricos;

  • Uma das apostas da Volks é de expansão de rede de carregamento rápido;

  • Além da disputa nos carros elétricos, montadora alemã quer entrar em mais mercados;

A Volkswagen planeja dobrar o número de funcionários em sua divisão da empresa de cobrança e energia, lançar uma nova tecnologia de pagamento no próximo ano e fazer mais alianças para enfrentar a Tesla em um principal campo de discussão dos veículos elétricos: infraestrutura de energia, segundo informações da agência Reuters.

Leia também:

Ao garantir que haja plugues de carregamento rápido o suficiente - e energia suficiente - para os veículos elétricos que deseja vender, a maior montadora da Europa espera convencer os motoristas preocupados com as baterias e a durabilidade das mesmas de que eles podem abandonar seus carros movidos a combustível fóssil.

Mudanças envolvem baterias mais longas, rede de carregamento e facilidade de pagamento

A ambição elétrica da Volkswagen fez com que a empresa contratasse o veterano da indústria de energia Elke Temme, com histórico nas empresas de energia alemãs RWE e Innogy, para ajudar a montadora a entrar em melhor forma para enfrentar a Tesla. Dentre as mudanças, está a ideia para que a equipe triplique de tamanho, além de agrupar as várias atividades de energia da montadora, como adquirir energia, permitir que os clientes carreguem seus carros em casa e na estrada e vender a eletricidade necessária.

A Volkswagen lidera o mercado mundial de longe com seus planos de investimento para veículos elétricos e baterias até 2030, de acordo com uma análise da Reuters, e segundo a mesma, está planejando gastar 35 bilhões de euros em EVs com bateria até 2025. Mas, por outro lado, entre suas necessidades de investimento estão as redes de carregamento.

A Tesla vem lançando supercarregadores de alto desempenho há anos e tem uma rede global de cerca de 30.000 carregadores rápidos que, segundo a empresa, podem dar um impulso de 200 km em 15 minutos. A empresa norte-americana disse em outubro que sua própria rede dobrou nos últimos 18 meses, e vai triplicar nos próximos dois anos.

A Volkswagen, por sua vez, espera que sua rede de carregadores rápidos quase quadruplique para cerca de 45.000 até 2025 - quando pretende ultrapassar a Tesla como líder do mercado global de elétricos - com 18.000 bombas de carregamento na Europa, 17.000 na China e 10.000 na América do Norte. A Volkswagen anunciou em março que planeja gastar 400 milhões de euros na expansão de sua rede de carregamento rápido no continente europeu.

Por outro lado, segundo a Reuters, o valor é ínfimo em comparação com os 5 bilhões de euros que a União Europeia estima serem necessários todos os anos até 2040 para expandir a infraestrutura de recarga no continente. Na Europa, o grupo Volkswagen é acionista do empreendimento de carregamento rápido da UE Ionity, junto com outras montadoras como a BMW, a Hyundai e a Mercedes-Benz, entre outras, além de outras empresas de energia como a britânica BP, a italiana Enel e a espanhola Iberdrola.

Para competir com o modelo da Tesla, que oferece aos clientes desde carros até armazenamento de bateria e painéis solares, além de eletricidade em alguns estados dos EUA, a Volkswagen agora está vendendo energia para clientes que dirigem veículos elétricos, ou híbridos plug-in, disponível também para clientes que não possuem um carro da marca. 

Em entrevista à Reuters, Elke Temme, disse que a Volkswagem estava planejando disponibilizar seus carregadores rápidos para todos os motoristas de veículos elétricos, ao contrário da Tesla, que até agora manteve sua rede de superalimentação apenas para motoristas de carros da empresa norte-americana - com exceção de um programa piloto na Holanda.

A Volkswagen diz que sua abordagem aberta para todos significa que os compradores de seus veículos elétricos podem procurar abastecimento em mais de 250 mil pontos de carregamento públicos existentes em toda a Europa, de vários fornecedores com várias velocidades de carregamento. O problema é que os protocolos de cobrança e métodos de pagamento podem variar entre estes fornecedores, podendo transformar o ato de reabastecer um veículos elétricos em uma tarefa demorada e confusa.

Para resolver a questão, segundo a Reuters, a partir do primeiro trimestre de 2022, a Volkswagen planeja oferecer a tecnologia "Plug & Charge" na Europa para tornar o processo mais suave. O carro armazenará os detalhes de pagamento do proprietário e fará a cobrança sem contato quando o plugue de carregamento for conectado ao veículo nas estações de reabastecimento configuradas para o serviço.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos