Como age o anticorpo capaz de neutralizar o coronavírus

Cientistas de todo o mundo lutam por tratamentos e vacinas para combater o coronavírus

Em meio a notícias de mortes pela Covid-19, um fio de esperança surge. Pesquisadores da Universidade de Utrecht, do Erasmus Medical Center e do Harbor BioMed, divulgaram nesta segunda-feira, na Nature Communications, que identificaram um anticorpo totalmente humano capaz de impedir o coronavírus de contaminar células em culturas cultivadas. A descoberta pode ajudar na criação e um tratamento para combater a doença.

O otimismo é grande, mas o trabalho ainda precisa passar por testes em seres humanos para ter sua eficácia comprovada.

“Esse anticorpo neutralizante tem potencial para alterar o curso da infecção no hospedeiro infectado, apoiar a eliminação do vírus ou proteger um indivíduo não infectado que é exposto ao vírus”, afirmou Berend-Jan Bosch, líder da pesquisa, em comunicado.

De acorco com o estudo dos pesquisadores, a ação foca em anticorpos conhecidos por combaterem o Sars-CoV, causador da Sars, que surgiu na China em 2002. Os especialistas identificaram que um desses anticorpos também é capaz de neutralizar a infecção por Sars-CoV-2, causador da Covid-19, em culturas celulares.

Bosch observou que o anticorpo se liga a uma propriedade existente tanto no Sars-CoV quanto no Sars-CoV-2, o que explica sua capacidade de neutralizar os dois microrganismos: “Esse recurso de neutralização cruzada do anticorpo é muito interessante e sugere que ele pode ter potencial na mitigação de doenças causadas por coronavírus — potencialmente emergentes no futuro”.