Como cantor e compositor, Pelé brilhou ao lado de nomes como Elis Regina, Roberto Carlos e Jair Rodrigues

Não foi só dentro de campo que Pelé fez arte. O ex-jogador que morreu nesta quinta-feira, desde jovem, já compunha e tocava violão. Ainda quando jogava no Santos, ele já se arriscava em cantar com algumas das maiores personalidades da música brasileira. Foi assim que, em 1969, gravou duas canções escritas por ele com ninguém menos que Elis Regina. "Vexamão" e "Perdão não tem vez" fizeram parte do compacto que recebeu o título de "Tabelinha".

Mas as tabelas musicais continuaram desde então na vida do Rei. Em 1977, o time convocado para o som foi Sergio Mendes & Brasil 66. Na época, ele estava deixando os campos e jogava no New York Cosmos. Então, aproveitou para gravar nos Estados Unidos o álbum que levou o seu nome. Músico brasileiro radicado no país, Sergio produziu as faixas. Entre elas, está "Meu mundo é uma bola", escrita pelos dois e por Gracinha Leporace, cantora que dividiu os vocais com ele. Entre outras faixas do disco, está "Alma latina" e "O coração do Rei".

"Meu mundo é uma bola" também foi cantada por ele com outro Rei, o cantor Roberto Carlos. Ainda em 1977, Pelé participou do especial de fim de ano de Roberto e dividiu o palco com ele.

Em 1981, a canção "Cidade Grande", escrita por Pelé, entrou no LP de Jair Rodrigues. Os dois gravaram juntos a canção, além de um clipe, que foi exibido no "Fantástico", na Rede Globo.

Em 2002, quando a seleção brasileira se preparava para a Copa do Mundo na Coreia e no Japão, Pelé usou a música para dar sorte a Ronaldo, Rivaldo e companhia. O Rei escreveu "Em busca do penta", em que os versos diziam: "Em 1970, o Brasil foi Tricampeão / Hoje com o tetra na mão, prepare o seu coração / São 170 milhões de corações brasileiros querendo o penta / Agora pra ver no Japão o Brasil outra vez campeão / Tem que unir toda a nação".

Na ocasião, ele fez uma participação na novela "O clone", em que o elenco cantava a música ao fim da cena.

“Ele foi o primeiro convidado ilustre do Bar da Dona Jura. Me lembro que ele pediu para a (autora) Gloria Perez para ir, porque queria lançar a música dele na novela", conta a atriz Solange Couto, que interpretava a dona do bar.

Outra música que marcou a carreira de cantor do Rei foi o tema infantil gravada pelo grupo Trem da Alegria, nos anos 1980, chamada "ABC do Bicho Papão". Escrita pelo Rei, ela contou com a participação dele na versão original lançada pelas crianças. Pelé voltou a cantar esta faixa em 1999, quando uma campanha publicitária do Ministério da Educação decidiu usar a música.