Como era por dentro do restaurante flutuante de Hong Kong que afundou na China; veja fotos

Na última terça-feira, o restaurante flutuante Jumbo Floating deixou o porto de Hong Kong pela primeira vez em 46 anos, após seus donos anunciarem não terem mais condições de operarem o negócio, que por décadas foi um dos principais pontos turísticos da ex-colônia britânica. Menos de uma semana depois, no domingo, a embarcação naufragou no Mar do Sul da China, onde se dirigia para um local não divulgado.

Vídeo: China inaugura seu terceiro porta-aviões com tecnologia de ponta

Violência contra mulheres: Polícia chinesa prende nove homens após grupo atacar mulheres em restaurante

Em Madrid: Conde espanhol é suspeito de matar duas mulheres em Madrid

Inaugurado em 1976, o Jumbo tinha três andares e espaço para 2.300 clientes. Ele custou cerca de US$ 3,8 milhões para ser construído.

Veja como era o restaurante:

O restaurante imponente, feito para remeter a um palácio imperial chinês, encontrou condições climáticas adversas próximo as Ilhas Xisha, onde acabou por afundar. Como as profundidades na área atingem cerca de mil metros, esforços de resgate são considerados "extremamente difíceis", segundo a Aberdeen Restaurant Enterprises, empresa que era dona do empreendimento.

No início de junho, enquanto o restaurante flutuante ainda estava no porto de Hong Kong, parte de sua cozinha afundou. Vídeos nas redes sociais mostram o estado do barco, que estava fechado desde 2020, após o início da pandemia de Covi-19:

Com seus setenta e seis metros de comprimento, o Jumbo Floating foi inaugurado em 1976 pelo magnata Stanley Ho Hung-sun, dono de uma rede de casinos em Macau. O empreendimento não foi o primeiro do gênero.

Já nos anos 50 ao menos 10 restaurantes flutuavam nas águas do porto de Hong-Kong, sendo que um deles ainda está em atividade. Trata-se do Tai Pak, que na época pertencia ao empresário Wong-Lo Kat. Foi ele quem tomou a iniciativa de construir O Jumbo Floating.

No entanto, após um incêndio durante as obras do novo restaurante matar 42 pessoas, em 1971, o empresário se viu obrigado a abandonar o empreendimento, que foi vendido para Stanley Ho Hung-sun.

A arquitetura do lugar e sua localização fizeram com que o espaço fosse usado inúmeras vezes por produções cinematográficas de Hong Kong e internacionais como cenário para filmes. O restaurante aparece em "007 contra o homem com a pistola de ouro", com Roger Moore; "A fúria do Protetor", com Jackie Chan, e "Infernal Affairs II". Como ponto turístico, o restaurante atraiu milhares de pessoas ao longo das décadas, entre elas figuras como a rainha Elizabeth II e o ator Tom Cruise.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos