Como lidar com a rejeição: famosos e anônimos vivem sentimento com perda de seguidores nas redes sociais

Evelin Azevedo
·2 minuto de leitura

Os dois últimos eliminados “BBB 21” bateram recorde de rejeição do público: primeiro Nego Di, com 98,76% e, na última terça-feira, Karol Conká, com 99,17% dos votos. Antes de saírem do reality, já era possível observar que o jogo dos dois dentro da casa não agradava aqueles que os acompanhavam. Além das críticas constantes recebidas pelos internautas, o humorista e a cantora perderam seguidores em suas redes sociais.

Deixar de ser seguido pode, sim, gerar uma sensação de rejeição, afirmam especialistas. E isso vale tanto para famosos quanto para anônimos. A frustração é ainda maior quando a pessoa tem a expectativa de virar influencer e fazer das redes sociais o seu trabalho.

— Atualmente, nossa aprovação ganhou alcance ilimitado, somos uma sociedade narcísica, precisando o tempo todo de afirmação virtual. Cada curtida vale uma confirmação do seu valor, portanto quando se perde seguidores o sentimento é de rejeição. Ganhar ou perder seguidores virou um termômetro da sua importância social. Quanto mais você tem mais você é visto como referência em algo. Portanto, quando se perde seguidores, a frustração é inerente — diz a psicóloga Paula Dutra.

De acordo com as especialistas, a rejeição é o sentimento de perda de valor, de exclusão e inadequação. Ela pode ser caracterizada também como uma ferida emocional.

— Esse sentimento magoa porque aciona mecanismos inconscientes e atualiza no presente sentimentos antigos. Todos nós fomos e somos rejeitados de alguma forma ou em algum momento da vida, isso é comum. E tudo bem se sabemos que nem sempre é possível agradar a todos — afirma a psicanalista Renata Bento, da Associado da Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro.

Na visão da psicóloga Daniela Generoso, pós-graduada em neuropsicologia, a pior rejeição é a que vem da família.

— O núcleo familiar é onde esperamos ser aceitos e amados independente de qualquer coisa. Se você tem apoio familiar, o que acontecer fora desse núcleo será doloroso, mas você sabe onde encontrar força para seguir.

Aprender a lidar com o sentimento de rejeição e superá-lo é importante para que os efeitos dessa sensação sejam minimizados e não provoquem grandes malefícios.

— Os impactos podem variar de pessoa para pessoa. Se apresentam como insegurança nas relações, comportamento hostil e agressivo ao se relacionar, medo de se sentir rejeitado novamente, vontade de se isolar para evitar relações e problemas de autoestima. Não conseguir lidar com a rejeição atrapalha na construção de relações estáveis — diz a psicanalista Renata Bento.