Como Lula e Janones planejam vencer no primeiro turno

Lula e Janones traçaram pilares para fortalecer estratégia de vencer no primeiro turno (Foto: NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images)
Lula e Janones traçaram pilares para fortalecer estratégia de vencer no primeiro turno (Foto: NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images)

Nesta terça-feira (13), o ex-presidente Lula (PT) participou de uma reunião com cerca de 6 mil comunicadores em todo o país. Segundo informações da CNN Brasil, o encontro, que aconteceu de forma virtual, teve como objetivo alinhar uma estratégia para conseguir uma vitória no petista ainda no primeiro turno.

Segundo a última pesquisa Ipec, divulgada na noite da última segunda-feira (12), o petista tem 51% dos votos válidos, o que daria a ele a possibilidade de vencer no dia 2 de outubro, sem necessidade de haver um segundo turno.

De acordo com a emissora, participantes relataram que Lula disse que sempre pensou na possibilidade de acabar com o pleito de 2 de outubro. O ex-presidente teria apresentado cinco pontos que seriam chave para conseguir cumprir o objetivo:

  • Defender a importância do voto

  • Usar a ideia da solidariedade, esperança e fraternidade nas mensagens passadas pela campanha

  • Falar em reconstrução do Brasil, de forma conjunta a ideia de paz

  • Usar o conceito de cuidar dos brasileiros

  • Reforçar ações nas ruas nos dias antes do primeiro turno

Quem também esteve no encontro foi a socióloga Rosangela Silva, a Janja, esposa de Lula. Ela teria falado em evitar o termo “virar votos” e, segundo a CNN, afirmou que o foco seria conquistar o eleitor indeciso.

André Janones (Avante-MG), que é conhecido por ajudar na campanha digital de Lula, também listou pontos que considera importantes para conseguir uma vitória em primeiro turno. De acordo com a CNN, seriam:

  • Focar nas redes sociais nos últimos 3 dias antes do primeiro turno

  • Entender que cada rede tem uma linguagem e um público próprio

  • Citar o presidente Jair Bolsonaro (PL) somente no Twitter, mas não nas outras redes

  • Organizar respostas rápidas aos ataques contra Lula

  • Não desmentir fake news, mas sobrepô-las com outras pautas

  • Usar um tom sereno e conciliador para defender Lula na reta final

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente: