Como Musk convenceu os bancos a financiar a compra do Twitter? Bilionário prometeu cortar salários de executivos e monetizar tuítes

NOVA YORK – Elon Musk disse aos bancos que estão financiando sua oferta de US$ 44 bilhões pelo Twitter que iria reduzir pagamentos a executivos e conselheiros da plataforma, para reduzir custos, e que desenvolveria novos mecanismos para monetizar tuítes, segundo relato à agência Reuters de três pessoas próximas às negociações.

Os planos foram apresentados aos banqueiros em sua estratégia para convencê-los a dar o crédito necessário à operação. O aval para o financiamento foi fundamental para o conselho do Twitter concordar com a proposta de Musk, descrita pelo bilionário como a “melhor e última oferta”.

Musk acabou obtendo US$ 13 bilhões em empréstimos lastreados em suas ações do Twitter (ele já detém uma participação de 9% na plataforma) e de US$ 12,5 bilhões garantidas por seus papéis na Tesla, empresa de carros elétricos que o bilionário fundou e da qual é presidente. O valor restante será pago com recursos próprios, de sua fortuna pessoal, estimada em US$ 270 bilhões.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos