Como na casa de Moretti, em 'Travessia', vigas metálicas aparentes ganham cada vez mais espaço em decoração

Há bastante tempo, as vigas metálicas vêm ganhando notoriedade em projetos de arquitetura e engenharia, não apenas para serem uma superopção de vencer grandes vãos sem pilares estruturais, mas também para ficarem aparentes, fazendo parte da estética proposta. Elas hoje fazem parte da decoração dos ambientes internos e também dos externos. Com elas como ponto de partida para o ambiente, a ideia traz um ar mais contemporâneo ou mesmo mais voltado para o estilo industrial. Existem inúmeras formas de usá-las. Tendo um bom projeto e uma boa execução, o sucesso é garantido! Venha ver alguns exemplos para se inspirar.

Com vista privilegiada, um terreno de 39 mil metros quadrados em Araras, distrito de Petrópolis, foi o endereço entregue aos arquitetos do escritório Ao Cubo Arquitetura para construir a casa de férias de uma família de quatro pessoas: um casal e duas crianças. Os clientes, que já possuíam esse terreno, haviam visitado um imóvel feito pelo escritório em estrutura metálica e gostaram da estética. Ao mesmo tempo, queriam algo mais tradicional para receber a família.

“A ideia foi conjugar as características tradicionais das referências de arquitetura do cliente com a nossa proposta contemporânea, mantendo o racionalismo da estrutura de aço aparente e o uso de materiais atemporais”, conta a arquiteta Paula Paiva.

Todos os ambientes, sala, cozinha, banheiros e quartos, fazem esse contraponto. Encontrar o equilíbrio foi o maior desafio do projeto, preservando a memória afetiva da família.

“Nos interiores, a missão era combinar móveis tradicionais da casa, em madeira escura, com móveis contemporâneos, em madeira clara. Já na arquitetura, o desafio era misturar a tipologia tradicional da casa de dois andares, com telhado colonial, à tipologia contemporânea, com pé-direito alto, forro em madeira clara e concreto aparente, além do mix de materiais”, diz o arquiteto Pedro de Hollanda.

A casa de campo com ares contemporâneos (na segunda foto) e acabamentos calorosos também foi projetada pelo escritório no topo de uma montanha, dentro de um outro condomínio em Araras.

O terreno de 26 mil metros quadrados já estava definido e comprado, quando os arquitetos Pedro de Hollanda, Lessa Carvalho, Edna Maeda e Paula Paiva tiveram o primeiro encontro com o proprietário, um engenheiro solteiro e sem filhos. Depois de várias reuniões, eles conseguiram traduzir em cimento, ferro e madeira os desejos e as expectativas do cliente.

“No início, ele tinha pensado em algo com estilo mais colonial, mas logo o convencemos a adotar uma linguagem contemporânea”, conta Pedro.

O escritório concluiu que o melhor formato seria dividir a planta em duas áreas, alterando o mínimo possível a topografia do lugar: uma parte englobando a área social e a suíte master e outra com sala de TV e quartos de hóspedes. A ala de serviços e lazer, incluindo a piscina em raia e a sauna, ficou embaixo, em meio a um pilotis de aço, que, além de sustentar a edificação, ajudou a manter este pavimento aberto.

A coluna "Casa de Novela" é assinada pelo arquiteto e urbanista Guilherme Galvão e pelo engenheiro Douglas Alexandre.

Site: ggarquitetura.arq.br

Instagram: @2amarelos e @ggarquitetura.