Como o Atlético-GO foi responsável pela virada de chave do Fluminense na crescente em 2020/21

·2 minuto de leitura

É possível dizer que o Atlético-GO se tornou uma recente pedra no sapato do Fluminense. Tanto que dos últimos cinco jogos, os tricolores venceram apenas um. Mas o mais duro deles — a eliminação na Copa do Brasil de 2020 — serviu como virada de chave para a crescente da equipe nas temporadas 2020/2021. De lá para cá, muito coisa mudou e hoje eles se reencontram às 19h, no Estádio Antônio Accioly, pelo Campeonato Brasileiro.

Ainda sob comando de Odair Hellmann, a queda na Copa do Brasil foi um sinal de que mudanças precisavam ser feitas. Algumas imediatas, outras que demandariam um pouco mais de tempo. Dos 11 titulares que iniciaram o jogo de volta daquela 3ª fase, também em Goiânia, sete não são mais titulares ou não estão no clube — Muriel, Calegari, Hudson, Dodi, Michel Araújo, Luiz Henrique e Wellington Silva.

As falhas de Muriel naquela partida foram decisivas para que perdesse a posição de titular para Marcos Felipe, que se firmou e segue na meta tricolor até hoje. Nenê, que jogava aberto na ponta esquerda, mudou de função e passou a atuar mais centralizado, subindo de produção e se tornando um dos líderes na campanha que renderia uma vaga na Libertadores.

Yago Felipe, que começou a partida no banco de reservas, se tornou titular absoluto naquela equipe e mantém esse status nos dias atuais. Por sinal, o volante retorna à equipe titular após cumprir suspensão diante do Fortaleza. André deve voltar ao banco de reservas; o lateral-direito Samuel Xavier será reavaliado e também pode retornar.

Atual técnico tricolor, Roger Machado completa uma sequência de duas partidas fora (e longe) de casa. Depois do jogo contra o Atlético-GO, o cenário se inverte, e o Fluminense terá quatro compromisso consecutivos no Rio: Corinthians, Athletico-PR, Flamengo (neste caso, com mando rubro-negro) e Ceará.

Os jogos, inicialmente, estavam marcados para o Maracanã, mas precisaram ser transferidos em razão da Copa América. Ainda sem perder no Brasileirão, o Tricolor está em sexto lugar na tabela de classificação, com nove pontos. O Atlético-GO, por sua vez, é o oitavo, com sete.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos