Como o coronavírus pode acelerar o fim da TV a cabo

Os serviços de streaming estão em alta, já que a pandemia de coronavírus mantém boa parte da população em casa, e uma nova pesquisa sugere que o vírus também pode acelerar a tendência das famílias a cancelar a TV a cabo.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

De acordo com o The Trade Desk, que recentemente entrevistou quase 3.000 norte-americanos, 64% dos participantes da pesquisa disseram ter cancelado o serviço ou estar pensando em cancelá-lo – ou simplesmente nunca possuíram.

Leia também

Este número sobe para 75% entre os participantes com idades entre 18-34 anos – sugerindo que o interesse na TV a cabo está se esgotando, especialmente na geração mais jovem.

“Como apenas 25% dos jovens adultos têm interesse de longo prazo na TV a cabo tradicional, em alguns anos esse mercado deixará de existir. Tudo será transmitido online, por streaming,” declarou Brian Stempeck, diretor de estratégia do The Trade Desk.

A ‘pergunta de um bilhão de dólares’

O coronavírus pode levar a um aumento no cancelamento da TV a cabo, já que 64% dos lares dos Estados Unidos relataram falta de interesse de longo prazo nesse tipo de serviço. (Fonte: The Trade Desk)

Entre os participantes, 11% dos que ainda têm TV a cabo disseram que planejam cancelá-la até o final deste ano – novamente, com os jovens de 18 a 34 anos liderando a tendência. Esse movimento deve continuar, conforme os norte-americanos aderirem às orientações de isolamento – e as plataformas de streaming estão entre as grandes vencedoras desse cenário sem precedentes.

O Netflix divulgou um número recorde de novos assinantes no primeiro trimestre de 2020, com quase 16 milhões de novas contas. Espera-se que esse crescimento continue, mesmo depois do fim da pandemia.

“Nós acreditamos que esse crescimento irá resultar em um aumento permanente da penetração do modelo de assinatura do Netflix, e vemos seu preço baixo e sua natureza de item básico como aspectos que permitem um desempenho saudável em uma recessão, mesmo depois que as orientações de distanciamento social não estiverem mais presentes,” disse Nat Schindler, analista do Bank of America, recentemente.

O Netflix ganhou 15,7 milhões de novos usuários em todo o mundo no primeiro trimestre de 2020, em meio à pandemia de coronavírus (Fonte: Netflix, NYT)

Além disso, a ausência de torneios esportivos também está fazendo com que os assinantes repensem seus planos de TV a cabo. A maioria dos norte-americanos (60%) afirmam que assistir a torneios de esportes ao vivo é a principal razão pela qual ainda mantinham suas assinaturas, de acordo com a pesquisa.

Ainda assim, é impossível dizer se as plataformas de streaming irão conseguir manter as pessoas entretidas quando a vida voltar ao normal.

“Essa é a pergunta de um bilhão de dólares agora,” disse Justin Patterson, analista do Raymond James, ao Yahoo Finance nessa semana.

A resposta, segundo Patterson, provavelmente reside na habilidade do Netflix de continuar a oferecer conteúdo localizado para seus diversos mercados internacionais – e a plataforma está disposta a investir pesado nisso.

O Netflix anunciou, na semana passada, que levantará mais 1 bilhão de dólares em capital para financiar a criação de programas originais e a compra de novos conteúdos, posicionando-se como uma enorme ameaça para os estúdios norte-americanos que no momento só veem incerteza em seu futuro.

Alexandra Canal

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.