Como o Flamengo orientou os jogadores no encontro com Bolsonaro; saiba quem apoia Lula

Quando o elenco do Flamengo campeão da Libertadores foi recepcionado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), na manhã do último domingo, no aeroporto do Galeão, a diretoria orientou atletas e funcionários que ficassem à vontade sobre a interação com o então candidato à reeleição. Segundo apurou a reportagem, foi até o salão nobre para a recepção quem quis e apareceu na foto quem se sentiu à vontade. A parte da delegação que não queria encontrar Bolsonaro foi respeitada, o que indicou com mais clareza o posicionamento de parte dos jogadores.

Rodrigo Capelo: Neymar, a esquerda e o diálogo com o contraditório

'Derrota na Copa-1998': Jogadores bolsonaristas lamentam resultado das eleições

Entre vários jogadores que notadamente são apoiadores do atual presidente estão o zagueiro Léo Pereira, que fez o número de Bolsonaro com os dedos, o goleiro Diego Alves e até o técnico Dorival Júnior. O lateral-direito Rodinei tirou selfie. Everton Cebolinha, Marinho e Fabrício Bruno também estiveram na "primeira fila" da foto.

Quem também esteve no encontro foi o atacante Gabigol, autor do gol do título. O atacante ficou mais afastado, observou do ônibus, e não tirou foto perto de Bolsonaro como outros atletas e funcionários. Nas redes sociais, esse distanciamento sugeriu um alinhamento ao outro candidato, Luiz Inácio Lula da Silva. Entrentanto, apesar de ter familiares apoiadores do agora eleito presidente, Gabigol internamente é visto como simpatizante de Bolsonaro.

Bernardo Mello Franco: Aliado de Bolsonaro, Landim escancara uso político do Flamengo

Os únicos jogadores que não foram até o encontro com Bolsonaro — e no Flamengo todos veem como apoiadores de Lula — são Everton Ribeiro e David Luiz. Os dois não tiraram fotos. Ribeiro nem ao salão nobre foi. David apenas para, de lá, ir embora. Ambos, como a maioria, se mantiveram neutros durante o período eleitoral. Apenas a mulher de Everton Ribeiro postou imagens do casal na chegada ao Rio se preparando para votar e com o horário, 10h03, levando fãs a juntarem os números 1 e 3 e formarem o 13 do candidato petista.

Apoio de dirigentes

Na foto com Bolsonaro, além de apoio de jogadores, houve manifestações simpáticas de dirigentes. O presidente Rodolfo Landim estava com a camisa do Flamengo verde e amarela e também participou da foto com o presidente do Brasil, assim como o vice de futebol Marcos Braz, que interagiu com o deputado Hélio Lopes (PL) — ambos são correligionários.