Como o K-pop venceu a torcida do Flamengo e fez Arrascaeta perder o Prêmio Puskás

Marcello Neves e Louise Queiroga
·2 minuto de leitura
Reprodução

O Prêmio Puskás, que elege o gol mais bonito da temporada 2019/2020, foi para Son Heung-min. Anticlimax. Afinal, no Brasil, a expectativa era de que Giorgian De Arrascaeta fosse o vencedor no 'The Best', nesta quinta-feira. Mas apesar da frustração da torcida do Flamengo, não dá para dizer que o resultado foi uma surpresa.

O Flamengo ter uma torcida gigantesca e fazer campanha para o uruguaio foi importante, mas o sul-coreano do Tottenham foi apoiado por um movimento mais numeroso, causado pela hallyu — a onda cultural da Coreia do Sul que se alastra pelo mundo — manifestada principalmente através do K-pop, como é chamada a música pop do país. Por exemplo, quando fizeram "Dynamite", do BTS, ser o clipe mais assistido nas primeiras 24 horas na história, com 101 milhões de visualizações.

A música fez história ao alcançar o topo da Billboard Hot100 e ainda rendeu nomeação inédita de uma canção de K-pop ao Grammy, na categoria melhor performance pop em grupo. Aliás, das dez maiores estreias do YouTube, oito são do BTS e do Blackpink, com quatro músicas cada.

Son ainda é fã do BTS, o grupo mais popular de K-pop no mundo. Quando o septeto se apresentou no Brasil, os ingressos no Allianz Parque estavam esgotados. Trazendo para a cultura ocidental, é como se fosse assumidamente fã de Rolling Stones ou de Queen. Não à toa que o BTS é frequentemente comparado aos Beatles, com reconhecimento do próprio Paul McCartney.

Campanha nas redes

Sobre o Puskas, foram milhões de pessoas fazendo campanhas e mutirões de apoio no site da Fifa para eleger o sul-coreano, grupos que se revezavam até mesmo de madrugada para votar no atacante do Tottenham.

Em 2019, quando Son tentava escapar do serviço militar sul-coreano, o BTS se apresentou em Wembley, na Inglaterra, e um dos integrantes ostentou um boné que dizia “SON” na frente e “Spurs” nas costas.

Durante a música “Anpanman”, Son ganhava destaque na apresentação enquanto a linha “Eu sou o novo super herói, Anpanman” era cantada.

Em entrevista ao Football Magazine Goal, Son foi questionado sobre o apoio e agradeceu.

– Eu sou um grande fã deles. O que eles fizeram pelo nosso país me deixa orgulhoso. Um rapaz (RM) estava usando um boné do Tottenham com meu nome nele e eu gostaria de dizer muito obrigado por isso. Quando eu assisto eles é uma tremenda honra, orgulho e respeito - declarou.

Arrascaeta bate novamente na trave no Prêmio Puskás. Em 2018, quando defendia o Cruzeiro, também foi indicado e foi superado por Mohamed Salah, do Liverpool.

A Fifa disponibilizou uma playlist com os gols indicados em seu canal no Youtube. Clique aqui para assistir.