Como os defeitos de Steve Jobs o ajudaram a construir a Apple

Durante a passagem profissional, que considera conquistas e frustrações, é possível observar as características do fundador da Apple em diferentes situações (Reprodução)

O livro biografia do empreendedor Steve Jobs, escrita pelo autor Walter Isaacson, foi lançado recentemente. Em entrevista à Infomoney, o administrador de empresas e advogado, André Lima, afirmou que essa é uma leitura obrigatória para todos aqueles que estão interessados em entender como uma personalidade como a de Jobs pode influenciar no grande sucesso da marca Apple.

Apesar de não trazer nenhum fato inédito para quem é fã do empreendedor, a obra traz a perspectiva do próprio Jobs sobre ele mesmo, desde a infância até a morte por câncer.

Para Lima, toda a genialidade de Jobs estava na personalidade do executivo. “Sua curiosidade infantil foi profundamente aguçada pelas aptidões mecânicas do pai e dos vizinhos. Jobs não só estava envolto num momento único da história, qual seja, a ebulição da eletrônica, como estava no lugar certo (Califórnia) e rodeado por pessoas envolvidas em mecânica, engenharia e eletrônica”, escreveu no portal.

O advogado ainda defende que sua trajetória profissional e as pessoas que o empreendedor encontrou no caminho foram fundamentais para seu sucesso.

Sobre a personalidade ácida e arrogante, popularmente difundida, Lima aponta que não é devido à fama, pois o livro conta diversas situações anteriores ao sucesso de Jobs em que ele se demonstrou em tratativas não muito agradáveis.

Ainda nessa linha, o advogado aposta que a adoção e um possível sentimento de rejeição de abandono podem ter impactado Jobs. No entanto, considera inegável a contribuição disso para o trabalho ‘forte, determinado e perfeccionista” do executivo.

Durante a passagem profissional, que considera conquistas e frustrações, Lima acredita que é possível observar as características de Jobs em todas as situações: “muito trabalho (a ponto de relegar as relações pessoais a segundo plano e leva-lo a beira da completa estafa), perfeccionismo e um tino absolutamente incomum para novas tendências”.

Por fim, na análise de Lima, a opção de não se tratar após a descoberta do câncer fez com que Steve Jobs morresse muito antes do esperado. “Talvez as características que o fizeram tão marcante e eficaz como empresário foram justamente as que o fizeram sucumbir”, aponta.