Como os gols de bola parada ajudaram o Palmeiras no título brasileiro

Dono do melhor ataque do Campeonato Brasileiro, com 63 gols marcados, e com 139 tentos ao longo da temporada, o Palmeiras teve um aliado que o ajudou a chegar nessa marca e sempre aparecia quando uma partida ficava complicada para o time de Abel Ferreira: a bola parada.

O Verdão é a equipe que mais fez gols dessa forma entre os times da Série A no ano de 2022, foram 59 no total. São Paulo e Ceará aparecem logo na sequência com números bem inferiores, são 36 e 30, respectivamente. No Brasileirão, o Palmeiras marcou 24 vezes em jogadas de bola parada, o que significa 38% dos gols do clube no campeonato.

No levantamento, são considerados gols de pênalti, faltas, escanteios e lateral. No entanto, as cobranças diretas são raridades no futebol brasileiro, e na comparação entre 2011 e 2021, o número de gols de falta no campeonato despencou de 44 para 20 — uma queda de aproximadamente 54,5%. Neste ano, foram 16 gols de falta até o momento.

O Palmeiras conquistou pontos importantes para o título brasileiro, por meio destas jogadas. As duas vitórias simples contra o Santos, tanto na Vila Belmiro, quanto no Allianz Parque, e os triunfos fora de casa contra São Paulo e Atlético-MG foram frutos de gols originados de bola parada. Ou seja, apenas nestas quatro partidas, o Alviverde somou oito pontos a mais.

Na grande maioria das vezes, os gols neste estilo são de extremo mérito do treinador. E claro que no Palmeiras de Abel Ferreira — um dos técnicos mais vitoriosos da história do clube — não seria diferente. Fica evidente que os lances são resultados de jogadas pensadas, desenhadas em prancheta, aperfeiçoadas em treino e executadas em campo.

Não é à toa que Gustavo Scarpa — dono das bolas paradas da equipe e melhor jogador — é o líder de assistências da Série A, com 13, em um total de 17 passes para gol no ano. Quem mais aproveitou as cobranças de faltas e escanteios do meia canhoto do Palmeiras foi o paraguaio Gustavo Gómez, que se tornou o zagueiro com mais gols pelo time paulista em uma temporada, ao balançar as redes 11 vezes.

O defensor de 29 anos superou o ex-jogador Júnior Baiano, que foi artilheiro do Palmeiras na Libertadores e marcou dez vezes em 1999. O zagueiro Murilo, que faz dupla com Gómez, também alcançou a marca do ídolo do Palmeiras e anotou dez tentos nesta temporada.