4 sinais de que seu celular foi hackeado - e como se proteger

O Ministro da Economia, Paulo Guedes, é o mais recente membro do governo a ser hackeado. Foto: EVARISTO SA/AFP/Getty Images

Nesta terça-feira (23), a assessoria de Paulo Guedes confirmou que o ministro da Economia do presidente Jair Bolsonaro foi vítima de hackers. A assessoria solicitou que mensagens emitidas pelo número de Guedes e de outras pessoas do gabinete sejam desconsideradas. O ministro é o terceiro membro do governo Bolsonaro a dizer que teve o celular hackeado.

Antes dele, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, também declarou, em junho deste ano, que teve o telefone pessoal invadido por hackers. Mais recentemente, nesta semana, a deputada federal e líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP), disse num vídeo publicado nas redes sociais que também foi vítima.

Leia também

De acordo com as declarações oficiais de Guedes, Moro e Hasselmann, tudo indica que os três foram vítimas de um golpe de clonagem de número, também conhecido como SIM-swap. A invasão acontece quando um funcionário da operadora de telefonia transfere o número da vítima para um outro chip, no celular de um hacker.

A partir daí, os criminosos podem se passar pela vítima em aplicativos como WhatsApp e Telegram. A ex-primeira dama Marcela Temer, esposa do ex-presidente Michel Temer, foi vítima do mesmo golpe. Na ocasião, o hacker tentou extorquir familiares da vítima pedindo "empréstimos", se passando por Marcela. Ele foi condenado a cinco anos de prisão.

Pensando nisso, o Yahoo! Finanças preparou um guia para te ensinar a como identificar se o seu celular foi clonado ou hackeado, e o que fazer para se proteger ou recuperar seus dados roubados.

1 - Receber uma ligação de um número igual ao seu

O ministro Sergio Moro disse que um dos sinais de que seu celular sofreu uma tentativa de invasão foi o fato de que ele recebeu uma ligação do seu próprio número. Na realidade, nem sempre receber uma ligação de um número igual ao seu é evidência de que alguém está tentando te hackear.

Em alguns casos, isso pode acontecer quando há uma tentativa de SIM-swap ou quando mais alguém está utilizando o seu mesmo número. Mas, em outras ocasiões, isso pode acontecer por um problema técnico da operadora, linha cruzada ou mesmo uma ligação de telemarketing tentando te enganar. Vale a pena ficar de olho em outros sinais para ter certeza.

2 - Seu WhatsApp foi desconectado

Você usava normalmente seu smartphone quando, de repente, o WhatsApp para de funcionar e esta mensagem de alerta aparece na sua tela: "Não foi possível verificar este telefone. Provavelmente, porque você registrou seu número de telefone no WhatsApp em outro aparelho".

Se você não trocou de chip nem propositalmente instalou seu WhatsApp em outro telefone, este é um sinal grave de que alguém conseguiu acessar a sua conta no aplicativo a partir de outro aparelho e certamente já tem acesso às suas mensagens e dados pessoais.

3 - Atividade estranha nas suas conversas

Mensagens marcadas como lidas sem que você tenha recebido notificação, respostas a perguntas que você não se lembra de ter feito… podem ser apenas falhas do aplicativo, mas podem também ser sinais de que alguém está utilizando seu WhatsApp a partir de outro dispositivo, recebendo e enviando mensagens se passando por você. E mesmo assim, você continua com acesso à sua conta.

Neste caso, é possível que o invasor esteja utilizando o WhatsApp Web, um aplicativo para computador que espelha as suas conversas do celular no PC. Para saber se há alguém com a sua conta ativa na web, entre em Configurações > WhatsApp Web. Ali você verá todas as sessões ativas. Se houver alguma que você não reconhece, toque em "Sair de todos os computadores". Vale a pena checar essa configuração de tempos em tempos, mesmo que você não desconfie de nada.

4 - Desempenho irregular

É possível também que um programa malicioso (malware, ou "vírus") esteja infectando o seu smartphone. Isto pode ter acontecido ao baixar um aplicativo duvidoso na loja de apps do seu aparelho ou após baixar um arquivo por e-mail ou por mensagem privada. Neste caso, o malware vai realizar tarefas no seu celular que podem causar reações estranhas.

Uma delas é o surgimento de janelas pop-up que cobrem toda a tela, em momentos aleatórios. Outro sinal é uma queda de desempenho, com lentidão no sistema ou esgotamento mais rápido da bateria. Vale a pena checar nas configurações do seu celular quais aplicativos estão exigindo mais bateria, e também manter sempre desligada a opção de instalar aplicativos desconhecidos.

O que fazer se o seu celular foi hackeado

Se você tem certeza de que o seu número foi clonado (SIM-swap), a primeira providência a tomar é procurar a sua operadora de telefonia, informar o problema e pedir o desligamento da linha. Informe seus contatos de que eles podem receber mensagens ou ligações de alguém se passando por você. Por via das dúvidas e para ter uma segurança no futuro, talvez valha a pena registrar um boletim de ocorrência.

Se o caso não foi de número clonado, mas apenas de alguém com acesso aos seus aplicativos com uma senha roubada ou espelhamento, como o WhatsApp Web, mude as senhas que você usa nos apps mais sensíveis. Certifique-se de ativar a verificação em duas etapas em todos eles. Assim, quem quiser entrar na sua conta precisará de uma senha e um segundo código de autenticação. No caso do WhatsApp, vá até Configurações > Conta > Confirmação em duas etapas.

Se quiser, você pode desativar sua conta do WhatsApp remotamente. Envie um e-mail para support@whatsapp.com com o a frase "Perdido/Roubado: Por favor, desative minha conta" no assunto. No corpo do e-mail você deve incluir o número do telefone a ser desativado em formato internacional, com código do país (+55 para o Brasil) e DDD.

Após receber a confirmação da desativação, você tem até 30 dias para voltar atrás. Depois disso, todos os seus dados serão apagados e ninguém mais poderá enviar mensagens para o seu número.