Como seria a vida de Trump depois da Casa Branca (se ele perder a eleição)?

Jerome CARTILLIER
·3 minuto de leitura

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, não fala publicamente sobre a possibilidade de ser derrotado nas urnas por Joe Biden. 

Mas se isso acontecer na terça-feira, como seria sua vida após sua saída da Casa Branca em 20 de janeiro de 2021? 

Frequentemente ele recorda sua vida antes da política - "Eu tive uma ótima vida" - mas não costuma mencionar como poderia ser depois. À luz dos últimos quatro anos, é difícil imaginar uma saída discreta ou anonimato.

- Um retorno à televisão? -

Trump pode ficar tentado a voltar para às telas. Se ele se tornou conhecido como incorporador imobiliário nas décadas de 1980 e 1990, foi o reality show "O Aprendiz" que o levou a todos os lares americanos. 

Coprodutor deste programa que apresentou entre 2004 e 2015, Trump conseguiu, apesar dos altos e baixos do seu império imobiliário, projetar uma imagem de empresário forte e carismático. 

Em uma grande sala de reuniões na Trump Tower, o magnata recebia candidatos e dispensava um a cada programa, usando a frase: "Você está demitido!" ("Está despedido!"). 

Desde sua chegada à Casa Branca, ele criticou repetidamente a posição da Fox News por não ser 'Trumpista' o suficiente para seu gosto. 

Os espectadores “querem uma alternativa agora. Eu também!”, tuitou há alguns meses. 2021 pode ser uma oportunidade para começar do zero, embora o investimento inicial possa ser um impeditivo. 

Ele também pode recorrer a canais amigáveis como One America News e NewsMax TV.

- Tribunais? Prisão? -

Se deixar a Casa Branca, o horizonte judicial de Trump pode escurecer significativamente. 

É alvo de duas investigações em Nova York, cada uma delas pode levar a um processo contra ele. 

O primeiro, um processo criminal movido pelo promotor Cyrus Vance de Manhattan, diz respeito a possíveis atos de evasão fiscal, fraude de seguros e manipulação contábil.

O segundo, na esfera civil, foi apresentado pela procuradora do estado de Nova York, Letitia James, para apurar se a Trump Organization mentia sobre seus ativos para obter empréstimos e vantagens fiscais.

- 2024? -

Em teoria, nada impede Trump de tentar voltar à Casa Branca em 2024. A constituição proíbe cumprir mais de dois mandatos consecutivos, mas dois mandatos não consecutivos são uma possibilidade. 

Apenas um homem acertou essa aposta: Grover Cleveland, no final do século XIX. Eleito em 1884, foi derrotado em 1888 e reeleito em 1892. 

Mas, para isso, teria grandes obstáculos políticos a superar. Por um lado, o Partido Republicano pode ser tentado a virar a página do trumpismo, mas a questão da idade também pode surgir. 

Grover Cleveland tinha 56 anos quando começou seu segundo mandato. Donald Trump teria 78 anos.

- Vários caminhos -

No tom de provocação que tanto adora, Trump mencionou várias "pistas" nos últimos meses. Em junho, ele evocou, rindo, a possibilidade de uma "road trip" com sua esposa Melania. 

"Talvez eu vá de carro para Nova York com a primeira-dama. Acho que vou comprar um trailer e viajar com a primeira-dama." 

Em uma nota menos romântica, ele parou alguns dias atrás durante um comício de campanha na Pensilvânia para admirar os caminhões estacionados à distância. 

"Bonitos caminhões! Você acha que eu poderia entrar em um deles e ir embora? Eu adoraria, apenas dirigir e pegar a estrada." 

Em uma visita a The Villages, a maior comunidade de aposentados da Flórida, ele evocou uma opção mais gentil. "Estou me mudando para The Villages. Não é uma má ideia. Eu realmente gosto disso!" 

Mas existe uma opção mais radical. "Não vou me sentir muito bem", disse ele há algumas semanas, aludindo à humilhação que, segundo ele, representaria uma derrota para Biden, a quem apelidou de "Joe Sonolento". 

"Posso deixar o país."

sms-jca/leo/dax/ob/yow/lda/jc