Como a Ticketmaster planeja a volta aos eventos ao vivo pós-pandemia

O Globo
·2 minuto de leitura
Guito Moreto / Agência O Globo
Guito Moreto / Agência O Globo

RIO DE JANEIRO — A gigante da venda de ingressos Ticketmaster anunciou que trabalha na criação de um protocolo de segurança para seus futuros eventos que inclui identificar, entre seus frequentadores, quem está vacinado ou teve resultado negativo para Covid-19 nos três dias anteriores. As informações são da Billboard.

Eventos ao vivo estão entre os setores mais duramente afetados pela pandemia do novo coronavírus. Uma das principais recomendações da Organização Mundial da Saúde para se prevenir do Covid-19 é justamente evitar aglomerações, o que deixa indefinido o retorno de shows musicais, peças teatrais, eventos esportivos e outras atividades coletivas. Por isso, qualquer avanço nas pesquisas de vacinas contra o vírus é acompanhada bem de perto pela indústria do entretenimento. O anúncio da Ticketmaster veio após a publicação dos resultados de uma pesquisa da farmacêutica Pfizer, que atestou uma taxa de eficácia de 90% nos testes clínicos de uma nova vacina contra o coronavírus.

A companhia não revelou muitos dos detalhes do plano, que cruzará informações de três fontes: o aplicativo digital da própria Ticketmaster, de empresas terceirizadas de de saúde e de provedores de distribuição de testes e vacinas. Basicamente, após comprar um ingresso, o fã deverá provar que já está vacinado, ou submeter-se a um teste nos dias imediatamente anteriores ao evento. A empresa afirma que não armazenaria os dados médicos do público. Se o resultado for negativo, a empresa de saúde informará à Ticketmaster, que liberará uma credencial de acesso ao evento. Em caso positivo, a entrada no espetáculo será negada. Não existe até o momento, no entanto, nenhuma empresa terceirizada apta e autorizada a fornecer resultados de vacinação em tempo real.

Em relação a isso, o presidente da Ticketmaster, Mark Yovich, aposta no crescimento de um novo setor de tecnologia para lidar com a Covid-19 e que crie soluções não apenas para o setor de entretenimento, mas outros que também lidam com grande volume de pessoas, como companhias aéreas e parques temáticos. "Nosso objetivo é fornecer flexibilidade e opções suficientes para que os locais e os fãs tenham vários caminhos para retornar aos eventos", disse Yovich à Billboard.

A empresa pretende implementar um ingresso digital vinculado à identidade do comprador, além de um novo sistema que ajudará fãs e organizadores a gerenciar o distanciamento social, inclusive com a possibilidade de rastreamento de contatos. A Ticketmaster não detalhou, porém, como isso se dará. No momento, qualquer horizonte possível é festejado pela indústria de entretenimento. "A integração das plataformas de ingressos com os resultados dos testes verificados pelos convidados é uma forma importante de reimaginar como vamos trazer os fãs de volta aos eventos ao vivo”, disse à Billboard Marianne Herman, diretora do reBUILD20, empresa criada para ajudar empresas do setor de eventos ao vivo a desenvolver estratégias de sobrevivência ao novo coronavírus.