Como tomar cerveja sem ficar com barriga de chope

Courtney Iseman

Sabemos que a cerveja não é uma bebida de baixas calorias – haja vista a famosa "barriga de chope" --, mas será que é muito exagero achar que dá para ficar em forma tomando uma bebida que é associada à barriguinha?

Primeiro, vamos deixar bem claro. "Barriga de chope" não é um termo muito preciso, segundo Joy Dubost, nutricionista, cientista de alimentos e integrante da Master Brewers Association of the Americas, uma entidade que reúne mestres cervejeiros de todo o continente.

"A ideia da barriga de cerveja não se sustenta na ciência. A cerveja não tem contribuição calórica mais alta que outras comidas ou bebidas", afirma ela.

Se você bebe com moderação, além de manter uma dieta saudável e um estilo de vida ativo, uma ou outra gelada não vão criar barriga. E, se você toma cerveja, mas não cuida da alimentação, não adianta culpar bebida se a pança está crescendo.

A segunda coisa a observar é um conceito que se aplica a qualquer comida ou bebida: equilíbrio. Você não tem de decidir entre suas cervejas e seus objetivos. É por isso que existe um movimento que une cerveja e boa forma – do qual vamos falar daqui a pouco. Antes, porém, vamos falar da importância de tomar decisões conscientes.

Você precisa entender quantas calorias tem a cerveja

Duas, três ou mais cervejas descem tranquilamente numa sentada, e você pode esquecer que uma cerveja artesanal pode conter tantas calorias quanto uma pequena refeição. Quantas, exatamente? Isso nem sempre fica claro.

Hoje, as cervejarias americanas não são obrigadas a revelar quantas calorias contêm seus produtos.

Sob pressão para ser mais transparente, o Beer Institute – um grupo que reúne empresas como Anheuser-Busch, MillerCoors, Heineken USA e Constellation Brands – decidiu informar voluntariamente o valor calórico das cervejas a partir de julho de 2016. As cervejarias que fazem parte deste grupo produzem cerca de 80% das cervejas vendidas nos Estados Unidos...

Continue a ler no HuffPost