Como tornar as férias mais seguras para as crianças

Evelin Azevedo

Os acidentes domésticos aumentam cerca de 40% nos meses de férias, de acordo com dados da ONG Criança Segura. Isso ocorre porque os pequenos ficam mais tempo dentro de casa ou brincando em áreas comuns, como a rua e os parquinhos. E a maioria destes problemas pode ser evitada com pequenas mudanças (veja dicas ao lado).

Segundo a ONG, cerca de 335 crianças são hospitalizadas por dia e 12 morrem em decorrência de acidentes. A maioria e os mais graves estão relacionadas ao trânsito, com a criança sendo conduzida no carro ou atropelada.

— É imprescindível o uso dos dispositivos de segurança, como o bebê conforto, a cadeirinha e o assento de elevação, de acordo com a idade. Eles previnem 71% das mortes nos acidentes de transito — alerta Vania Schoemberner, gerente executiva do Criança Segura, que complementa:

— É preciso lembrar também de usar capacete ao andar de bicicleta, patinete e patins, assim como o colete salva-vidas nas piscinas.

Os afogamentos são outra causa grave de acidentes domésticos nas férias.

— Dois dedos de água são o suficiente para que uma criança pequena se afogue — lembra Vania.

A porta-voz da ONG reforça que os pequenos devem ficar sob supervisão o tempo todo, principalmente se estiverem próximos à piscina ou a um recipiente com água.

As queimaduras são outro fator que faz com que os pais corram para os prontos-socorros com seus filhos, assim como a ingestão de itens não comestíveis e sufocamento.

— Ao cozinhar, coloque as panelas sempre nas bocas de trás do fogão, com o cabo da panela virado para dentro. Evite deixar objetos pequenos ao alcance das crianças, como moedas, clips de papel, pilhas e baterias — ensina Patricia Rezende, pediatra do Prontobaby.

Segurança dentro e fora de casa

Salas e quartos

- Piso molhado, muito liso e tapetes soltos representam risco de quedas. Opte por pisos e tapetes antiderrapantes, ou retire itens escorregadios do ambiente

- Instale portões de segurança, grades, travas e/ou redes de proteção em janelas, sacadas, mezaninos e no topo e na base de escadas. Toda área que apresente risco de queda, por menor que seja, deve ser isolada

- Atenção a fios elétricos desencapados e tomadas elétricas: para evitar choques, use tampas, fita isolante ou mesmo móveis como barreira, para não permitir o acesso

- Cuidado com as quinas. Se possível, opte sempre por móveis com quinas arredondadas ou use um protetor específico, vendido em lojas de utilidades

- Móveis (inclusive cama e sofá) devem ser sempre mantidos longe de janelas e cortinas, nunca embaixo. Eles podem ser usados para escalar

Cozinha e Área de Serviço

- O fogão é o maior causador de acidentes na cozinha. Por isso, use as bocas de trás e mantenha todos os cabos de panelas virados para dentro

- Guarde fósforos, isqueiros, sacos plásticos, substâncias como álcool, materiais de limpeza, objetos que quebram, talheres e facas em locais altos, ou trancados, o mais distante do alcance das crianças

- Nunca deixe pontas de facas ou de garfos expostas. Os cabos dos talheres devem ficar para cima no escorredor de louça

- Produtos de limpeza devem ser mantidos em seus recipientes originais. As embalagens de refrigerantes ou similares nunca devem ser reutilizadas para guardar produtos de limpeza, para não confundir as crianças

Banheiros

- Procure manter a tampa da privada lacrada com dispositivo de segurança específico. Se não for possível, tenha o hábito de deixar a porta trancada

- Jamais deixe uma criança na banheira sem supervisão, nem por alguns segundos, ou mesmo com pouca quantidade de água. E sempre esvazie o recipiente depois de usá-lo

- Tranque o compartimento de remédios, produtos de higiene pessoal, antissépticos bucais e outros produtos que apresentem perigo de intoxicação

Áreas externas com ou sem piscina

- Ensine seu filho a nunca entrar na piscina sem ter um adulto tomando conta. Até mesmo nas piscinas de plástico para crianças menores, com poucos centímetros de água, há risco de afogamento

- Se estiver supervisionando crianças na piscina, não se afaste nem por poucos minutos

- Jamais acenda a churrasqueira com crianças por perto. O fogo pode subir e acabar ferindo seu filho. Facas e espetos devem ser deixados fora do alcance da criança. Assim como o álcool.

Em parquinhos e playgrounds

- Tome cuidado especial com os brinquedos que oferecem riscos de quedas, como escorrega e trepa-trepa, ou enforcamento, como balanços

- Bicicletas, patins e skates devem ser usados juntamente com equipamentos de segurança: capacete, joelheiras e cotoveleiras

No trânsito

- De acordo com a legislação brasileira, até os 10 anos as crianças devem ser transportadas no banco traseiro e usando cinto de segurança. Até os sete anos, elas deve usar cadeirinhas específicas para peso e idade

- O airbag do passageiro pode ferir seriamente uma criança quando essa estiver sentada no banco da frente. Se for transportar uma criança em carro com esse dispositivo, lembre-se de desativá-lo

- Em paradas para abastecer, comer, ou por outro motivo, jamais deixe a criança desacompanhada. Locais localizados à beira da estrada oferecem alto risco de atropelamento para crianças