Complexo do HC em SP será transformado em centro de tratamento de coronavírus

ROGÉRIO PAGNAN

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Hospital das Clínicas de São Paulo será transformado a partir desta terça-feira (24) no maior centro para tratamento de pacientes infectados com o novo coronavírus do país. Serão destinados 900 leitos exclusivamente ao tratamento da doença, sendo 200 deles de UTI.

A ação faz parte de um acordo entre o governador de São Paulo, João Doria, a Secretaria de Estado da Saúde e o Centro de Contingência do Coronavírus. O anúncio está sendo feito nesta segunda (23).

De acordo com o governo, todos os pacientes com outros tipos de doença ou enfermidades internados no complexo serão transferidos para um dos outros sete institutos ligados ao HC. Até sexta-feira (27), serão liberados os 200 leitos de UTI para pacientes da Covid-19. Essa capacidade deve ser ampliada em mais 100 leitos com a chegada de novos equipamentos.

Até a semana quem, todo o complexo central deverá estar atendendo só casos do coronavírus.

Essa mudança, ainda segundo o governo, vai melhorar a capacidade e qualidade de atendimento dos pacientes do coronavírus e, também, reduzir as chances de infecção de pacientes internados com outros problemas, como vítimas de AVC, infartes e câncer.

Esses pacientes de outras enfermidades, cerca de 400, que ocupam o instituto central serão encaminhados para outros institutos a partir desta terça. O esforço conjunto da instituição contará com a participação, segundo o governo, da direção de Incor, Icesp, Inrad, IOT, IPq, ICr e Imrea.

O encaminhamento dos pacientes de coronavírus para o HC será feito pelo centro de regulação da Secretaria de Estado da Saúde. Serão atendidos casos moderados e graves.

Isso significa que o Hospital das Clínicas não atenderá pacientes que procurarem diretamente o complexo. Pessoas com necessidade de atendimento devem procurar diretamente as unidades básicas de saúde, que farão o encaminhamento.

"O HC está colocando em ação a maior operação de sua história. Estamos fazendo tudo para oferecer a maior quantidade de leitos possível à nossa população, ao mesmo tempo que buscamos preservar ao máximo a saúde de pacientes e colaboradores", disse em nota Tarcisio Eloy de Pessoa Barros Filho, diretor da Faculdade de Medicina da USP e presidente do Conselho Deliberativo do HC.

Desde janeiro, ainda segundo o governo paulista, o Hospital das Clínicas colocou em ação seu comitê de crise para se preparar para a chegada de pacientes graves que precisarem ser atendidos nas UTIs do hospital em decorrência do novo coronavírus.