Compositor de 'Tá na hora do Jair já ir embora' conta como foi a criação do hit e se espanta com sucesso: 'Caindo a ficha'

“Tá na hora do Jair, tá na hora do Jair... Já ir embora”. O verso chiclete grudou na cabeça de muita gente e tornou a música de Juliano Maderada e Tiago Doidão a mais ouvida do país no Spotify no último domingo: somente nesse dia, ela teve 1,4 milhão de reproduções. Após a vitória de Lula na disputa presidencial, o hit ganhou ainda mais fôlego e chegou ontem ao topo da lista mundial na plataforma de streaming.

— A gente nem sabia que ia tomar essa dimensão. Eu estava muito apreensivo com a votação, mas, agora que está tudo certo, está começando a cair a ficha do sucesso da música — conta Maderada, de 48 anos, que nasceu em Goiás, mas mora na Bahia há 40 anos.

Nas redes sociais, muita gente cantou, dançou e usou a canção para comemorar a vitória do petista sobre Jair Bolsonaro (PL) nas eleições presidenciais. Até a ex-candidata Simone Tebet (MDB), que apoiou Lula no segundo turno, e a apresentadora Xuxa embarcaram nessa. Maderada e Tiago subiram, inclusive, no trio elétrico onde cantava Daniela Mercury na festa pela vitória do presidente eleito, no fim da noite de domingo, na Avenida Paulista, em São Paulo.

— Imaginei que íamos (eleitores de Lula) ganhar e fui pra São Paulo porque queria estar perto pra ver a festa. Quando cheguei, avisei que estava com Tiago por lá e que queria estar na comemoração. Então, perguntaram se a gente topava uma participação no trio, e eu disse: “Só se for agora!”. Foi uma explosão danada! — lembra Maderada.

Longa parceria dos amigos

Baiano, Tiago é cantor, compositor e também canta na banda Maderada do Arrocha, que o amigo produz e empresaria. A parceria entre os dois já dura dez anos.

Além do trabalho com esse grupo, o goiano produz e compõe jingles para diferentes nichos há mais de 20 anos e administra há cinco o canal no YouTube Maderada Brasil. Foi depois que fez a primeira composição para Lula, assim que o petista se tornou elegível novamente, que Maderada decidiu investir em temas políticos.

— Meu canal ainda não tinha um rumo, mas foi nessas eleições que ele cresceu. Quando Lula se tornou elegível, tínhamos 4 mil inscritos. Hoje temos mais de 250 mil. Aí entendi que eu poderia fazer esse tipo de jingle mais pró-Lula porque ia ter uma fidelidade maior com o público que estava me acompanhando — conta ele, que também já compôs para outros políticos: — Como já sou lulista, passei a fazer só pra ele e contra Bolsonaro. Embora ainda, nessa última eleição, eu também tenha conseguido fazer (composições) pro Brasil todo, inclusive pra bolsonaristas, porque eu vendo bem. Tinha que aproveitar e ganhar um dinheirinho nesse período eleitoral.

“Tá na hora do Jair já ir embora” caiu tanto no gosto popular que os planos pro hit cresceram. Originalmente, a música tinha uma pegada essencialmente política na letra, algo que foi modificado pensando justamente em sua distribuição nas plataformas de streaming. E valeu a pena a mudança!

— Tiago nem queria muito gravar porque ele ainda não tinha colocado a cara. Ele tem uma carreira mais independente na música — conta Maderada, antes de descrever o processo de composição em parceria: — A ideia foi do Tiago. Eu só dei uma lapidada e subi nas plataformas. Nesse momento, eu consegui (falar) com a equipe do Lula pra eles usarem a música na campanha. Imagina os versos tocando para milhões de pessoas na rua?! Já era boa, ficou ainda melhor! Com pouco tempo, o povo já estava baixando, ouvindo, cantando...

Agora, com tamanha repercussão, além de pedidos de entrevistas e notificações que não param de chegar em suas redes sociais, Maderada conta que o plano imediato é investir ainda mais no trabalho:

— Ainda está caindo a ficha da vitória do Lula. Vou descansar uns poucos dias porque esse trabalho pra mim foi muito corrido, mas não podemos perder tempo do feedback da música e do trabalho. Vamos fazer algo logo, tocar o barco.