Compra da Mobileye pela Intel deve impulsionar investimentos em empresas israelenses

Por Tova Cohen e Steven Scheer

Por Tova Cohen e Steven Scheer

TEL AVIV (Reuters) - A compra da Mobileye pela Intel por 15,3 bilhões de dólares catapultou a alta tecnologia israelense para o mercado global e deve estimular o investimento em outras startups mais maduras, setor onde os recursos são mais necessários.

A captação de recursos em startups mais maduras, que já vendem produtos e não apenas ideias inexploradas de empreendedores, tem crescido. Segundo o Centro de Pesquisa de Capital de Risco Israelense (IVC), as captações subiram de 2,4 bilhões para 2,9 bilhões dólares entre 2015 e 2016, com investidores buscando rendimentos mais altos.

Os investidores em risco acreditam que a compra da Mobileye, especializada em tecnologia para carros sem motorista, pela gigante de semicondutores norte-americana, na semana passada, deve acelerar a tendência.

"Uma preocupação ao longo dos anos tem sido que, em comparação com os EUA, Israel não pode produzir retornos muito grandes", disse Adam Fisher, que gerencia o escritório de Israel para o fundo de capital de risco Bessemer, baseado na Califórnia.

"Mobileye é um exemplo perfeito de como um grande negócio pode ser construído em Israel e como uma grande corporação não hesitará em pagar um prêmio estratégico por esse negócio, apesar de sua localização."

O preço pago é cerca de 21 vezes a receita da Mobileye esperada para 2017, ou mais de seis vezes o valor médio dos negócios da indústria de semicondutores nos últimos três anos.

Até recentemente, muitas empresas de tecnologia israelenses não conseguiam crescer o suficiente para seguirem independentes. As empresas globais, interessadas em explorar as habilidades de pessoas treinadas nos setores militar e de inteligência, muitas vezes as compravam antes que as empresas fossem listadas em bolsa.

Este foi o caso do Waze, o aplicativo israelense de mapeamento que o Google comprou em 2013 por 1,15 bilhão de dólares. Naquele mesmo ano, o Wix, startup israelense que ajuda as pessoas a construir sites, estreou na Nasdaq, levantando 127 milhões de dólares sete anos após a fundação da empresa.

Apenas alguns, como a empresa de segurança cibernética Check Point Sofware Technologias, que tem um valor de mercado de quase 18 bilhões de dólares, conseguiram permanecer independentes. Especialistas em tecnologia de defesa, como a Elbit Systems, estão em grande parte fora do alvo de investidores estrangeiros por razões de segurança nacional israelense.

A Autotalks, fornecedora de comunicação entre veículos para melhorar a segurança rodoviária, disse na quarta-feira que captou 30 milhões de dólares recentemente de investidores, incluindo o Catalyst Fund da Samsung, elevando para 70 milhões de dólares o total levantado até agora.