Compra de lotes com infraestrutura está em alta no Rio

Rafaella Barros
·2 minuto de leitura

Apesar da crise econômica agravada pela pandemia do novo coronavírus, a procura por lotes residenciais está em alta, segundo dados de empresas do ramo. A Pró Lotes, por exemplo, viu o faturamento com o volume de negócios passar de R$ 1 milhão, em setembro de 2019, para R$ 10 milhões, no mesmo mês deste ano.

Para Marcelo Froes, diretor comercial da incorporadora, o aumento das vendas se deve, em grande parte, ao próprio isolamento social imposto pela Covid-19:

— Com a pandemia e a necessidade de ficar mais em casa, surgiu a busca por mais espaço, quintal, um cantinho ao ar livre, uma vida menos trancada. Por isso, o lote virou a bola da vez. André Barros, presidente da Morar Mais Imobiliária, conta que este ano a procura cresceu 30%. Ele aponta os preços como facilitadores. Os terrenos que comercializa no empreendimento Campo Verde, em Rio das Ostras, custam a partir de R$ 45 mil.

— Temos grande procura de pessoas que têm imóveis próprios na Zona Oeste e na Baixada Fluminense e buscam uma casa de praia — diz.

A Fernandes Araújo registrou alta de 85% nas vendas dos seus lotes entre março e novembro deste ano, em comparação com o mesmo período de 2019. Flavia Katz, gerente de Marketing da incorporadora, explica que há oportunidades de lotes a partir de 126m² em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

— Nossos lotes têm valores a partir de R$ 75 mil. Oferecemos entrada a partir de 20%, e o financiamento é direto conosco, em até 120 meses — detalha Flavia.

Viu isso? Financiamento imobiliário: veja como escolher entre as várias opções de crédito para a casa própria do mercado

A Pró Lotes tem, atualmente, três condomínios com lotes à venda: O Holiday, em Itaboraí, com terrenos a partir de R$ 65 mil; o Riviera, em São Pedro da Aldeia, com unidades a partir de R$ 160 mil; e o Solaris, em Maricá, com propriedades a partir de R$ 194 mil.

— Temos duas opções de projetos de casa que oferecemos gratuitamente a quem compra um lote — diz Froes.

Advogados ouvidos pelo EXTRA explicam que, antes de comprar um lote, é preciso tomar alguns cuidados.

— Umas das principais prioridades é verificar a matrícula do lote junto ao cartório do Registro de Imóveis, que garante ao futuro adquirente que o lote não é fruto de uma ocupação irregular — esclarece Raphael Luz, advogado da administradora Estasa.

O advogado Thiago Carregal explica o que acontece caso a pessoa venha a desistir do negócio.

— A diferença que se tem para um imóvel comprado na planta e financiado é que o lote não tem possibilidade de não ser entregue. Em caso de distrato, haverá retenção do valor de administração e corretagem, de 10% a 20%.