Compra pela Amazon é último episódio da saga da mítica MGM

·2 minuto de leitura
Leo, o mascote oficial da MGM, ao lado do ator Sylvester Stallone (à direita) e do CEO Gary Barber em uma festa de gala em Hollywood em 2014

Desde "...E o Vento Levou" a "Ben Hur" passando por James Bond, o estúdio MGM, simbolizado por seu leão, tem uma história digna de filme de Hollywood.

No último capítulo de uma saga de altos e baixos da empresa quase centenária, a MGM foi adquirida pela Amazon, uma das gigantes da internet, por 8,45 bilhões de dólares.

A produtora Metro Goldwyn Mayer foi criada em 1924 após a fusão da Metro Pictures Corp., Goldwyn Pictures e Louis B. Mayer Productions.

Sua história abrange desde o início do cinema e dos filmes mudos em preto e branco até o primeiro em Technicolor e na era digital de hoje.

Seu auge foi entre os anos 1930 e 1950, quando dominou Hollywood com estrelas como Greta Garbo, Joan Crawford, Clark Gable, Katherine Hepburn, Mickey Rooney, Spencer Tracy e Elizabeth Taylor.

"Mais estrelas do que no céu" era o lema oficial da MGM.

Em 1939, "...E o Vento Levou" e "O Mágico de Oz" foram indicados ao Oscar de melhor filme. "... E o Vento Levou" venceu.

Musicais como "Cantando na Chuva" também se tornaram símbolos do estúdio com estrelas como Judy Garland, Fred Astaire e Gene Kelly.

- Crise criativa -

No início dos anos 1960, a MGM entrou em uma crise criativa, mas continuou a produzir filmes que se tornaram clássicos como "Doutor Jivago" em 1965 e "2001: Uma Odisseia no Espaço" em 1968.

Com seu brilho diminuindo, o estúdio foi comprado pelo magnata Kirk Kerkorian em 1969.

Kerkorian vendeu e comprou a MGM mais duas vezes nos anos seguintes. Um dos compradores foi Ted Turner, que assumiria o controle do catálogo de filmes pré-1986.

Outro grande estúdio, United Artists, que já foi a casa de Charlie Chaplin, Mary Pickford e outras estrelas do cinema mudo, fundiu-se com a MGM em 1981.

Em 2010, a MGM pediu concordata e ressurgiu com um novo proprietário.

Seu arquivo de mais de 4.000 filmes inclui vários vencedores do Oscar, como "Se meu apartamento falasse", "Amor, Sublime Amor", "O Cowboy da Meia-noite", "Rocky", "Annie Hall", "Platoon", "Rain Man", "Dança com Lobos" e "O Silêncio dos Inocentes".

Entre as franquias ainda em poder da MGM estão as de James Bond, Rocky e A Pantera Cor-de-Rosa.

De acordo com a MGM, James Bond sozinho gerou 7 bilhões de dólares em receita de bilheteria, enquanto Rocky e Creed lhe renderam mais 1 bilhão de dólares.

O acervo de programas de televisão tem mais de 17.000 episódios, incluindo séries como "Fargo" e reality shows como "Survivor".

cl/ft/gm/rsr/jc