Compromissos ambientais do Brasil são cruciais para acordo UE-Mercosul, diz chefe da diplomacia europeia

·2 min de leitura
*ARQUIVO* BRASILIA, DF, 09.04.2021 - O ministro das Relações Carlos Alberto França  deixa o Palácio do Itamaraty, após almoço com o presidente Jair Bolsonaro, em Brasília (DF). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASILIA, DF, 09.04.2021 - O ministro das Relações Carlos Alberto França deixa o Palácio do Itamaraty, após almoço com o presidente Jair Bolsonaro, em Brasília (DF). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O chefe da diplomacia da União Europeia, Josep Borrell, afirmou nesta quinta-feira (4) que os compromissos ambientais assumidos pelo Brasil neste ano, entre eles os anunciados na COP26, "serão cruciais" para o avanço do acordo comercial assinado entre o bloco econômico e o Mercosul.

"Esses elementos serão cruciais para a conclusão exitosa do acordo UE-Mercosul. Estamos trabalhando juntos com nossos parceiros do Mercosul para fornecer os esclarecimentos necessários no nosso compromisso compartilhado nessa área", disse Borrell.

O alto representante para Relações Exteriores e Política de Segurança realiza visita oficial ao Brasil nesta quarta (3) e quinta.

Ele teve encontro com o chanceler Carlos França no Itamaraty e tem prevista um rápido encontro com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), no Palácio do Planalto.

Negociado por anos, o tratado comercial foi anunciado em 2019 como uma das maiores vitórias na frente externa do governo Bolsonaro.

Mas a forte retórica antiambiental do presidente brasileiro e o avanço do desmatamento da Amazônia ajudaram a formar uma forte oposição de alguns países europeus ao texto, principalmente a França.

Essa situação travou a ratificação necessária para que o acordo entre em vigor.

Atualmente, o acordo encontra-se em processo de revisão legal e diplomatas da União Europeia e do Mercosul discutem compromissos adicionais na área do meio ambiente para tentar reduzir a oposição ao texto nos países europeus.

O diplomata espanhol citou nesta quinta as promessas ambientais lançadas pelo governo Bolsonaro na cúpula do clima de abril, organizada pelos Estados Unidos, e mais recentemente na COP26.

"Eu também quero parabenizar e encorajar o Brasil a cumprir os compromissos feitos este ano -- incluindo os mais recentes na COP26-- para atingir a neutralidade de carbono até 2050, que é exatamente a mesmo propósito que nós temos na União Europeia. Nós estabelecemos o mesmo nível de ambição", declarou.

Além da meta de neutralidade climática, Borrell mencionou ainda o objetivo do Brasil de acabar com o desmatamento ilegal até 2028 --dois anos antes da promessa anterior-- e as novas metas de corte nas emissões de gases causadores do efeito estufa, além da adesão do governo Bolsonaro ao Compromisso Global sobre Metano.

"Eu quero usar essa oportunidade para expressar que a União Europeia permanece totalmente comprometida com esse acordo [comercial]. Será um divisor de águas do ponto de vista econômico e geopolítico", declarou o alto representante europeu.

"A ratificação e implementação desse acordo deve contribuir para um mundo melhor e uma relação muito melhor entre nós [UE e Brasil]".

O ministro das Relações Exteriores brasileiro, por sua vez, disse que, no encontro com Borrell, houve a reafirmação do "compromisso recíproco" para o avanço do tratado.

"Esse encontro serviu para que nós reafirmemos o compromisso recíproco para o fechamento da negociação do acordo Mercosul-União Europeia. E nós coincidimos que esse acordo, uma vez assinado, garantirá os mais altos padrões de proteção ambiental, além de trazer benefícios socioeconômicos para as duas regiões".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos