Computadores do Planalto ‘detectam ameaças’ e são apagados

'Ameaça' virtual: Aviso dizia que as outras áreas do Planalto já haviam sido informadas do problema - Foto: Getty Images
'Ameaça' virtual: Aviso dizia que as outras áreas do Planalto já haviam sido informadas do problema - Foto: Getty Images

O jornalista Rodrigo Rangel no portal Metrópoles, revelou que funcionários do setor de tecnologia do Palácio do Planalto enviaram uma mensagem informando que o sistema antivírus da área de informática havia detectado “uma ameaça” e que, por isso, os computadores da sede do Executivo Federal teriam que ser formatados, ou seja, teriam seu conteúdo todo apagado.

A mensagem enviada pela Presidência aos funcionários da área de informática dizia que o sistema antivírus da rede da Presidência da República “detectou uma ameaça”, na forma de um malware que danifica arquivos e o sistema operacional dos computadores. Afirmava, ainda, que “em alguns casos” arquivos foram criptografados.

O aviso dizia ainda que as outras áreas do Planalto já haviam sido informadas do problema. A instrução seria formatar os equipamentos e, em seguida, reinstalar o sistema operacional padrão das máquinas.

No entanto, a iniciativa causou desconfiança entre os próprios servidores do Palácio do Planalto, especialmente por ter sido disparada dias depois da derrota eleitoral de Jair Bolsonaro.

Ainda de acordo com o jornalista, as equipes de informática foram chamadas a chegar mais cedo no dia 3 de novembro, na quinta-feira seguinte à eleição, para atuarem em uma força-tarefa, destinada a “amenizar” a situação.

Segundo o site, a Presidência da República foi procurada para comentar sobre o assunto, mas não obteve resposta.

O Gabinete de Segurança Institucional, indagado diretamente pelo site, respondeu que questionamentos sobre o assunto deveriam ser feitos à Secretaria-Geral da Presidência, à qual está subordinado o departamento de tecnologia do palácio.

O site lembrou ainda que o presidente Jair Bolsonaro fez a sua primeira manifestação pública sobre o resultado, reconhecendo indiretamente a vitória de Lula, em uma fala de pouco mais de 2 minutos feita no final da terça-feira (1).