Comunidade da África Oriental vai enviar força regional para República Democrática do Congo

Os líderes da Comunidade da África Oriental concordaram em criar uma força regional para tentar acabar com o conflito no leste da República Democrática do Congo (RDC).

"A força regional deve, em cooperação com o Exército e as forças administrativas da República Democrática do Congo, procurar estabilizar e garantir a paz" no país, indica o comunicado divulgado após a cimeira realizada em Nairobi.

Na nota divulgada pela presidência queniana, os chefes de Estado "exigiram a aplicação imediata de um cessar-fogo e que a cessação das hostilidades comece imediatamente."

De recordar que a tensão entre a RDC e o Ruanda intensificou-se nas últimas semanas com o ressurgimento da rebelião do Movimento 23 de Março (M23), que é acusado de matar pelo menos 26 soldados da RDCongo num ataque, em janeiro.

Desde então, Kinshasa acusou Kigali de apoiar os rebeldes, maioritariamente da etnia tutsi, o que Kigali tem reiteradamente negado.

A cimeira constituiu uma oportunidade para os líderes da RDC e do Ruanda se reunirem pela primeira vez após o avolumar das tensões entre os dois países.

Participaram na cimeira os presidentes da RDC, Félix Tshisekedi, do Ruanda, Paul Kagame, do Uganda, Yoweri Museveni, do Burundi, Evariste Ndayishimiye, e Sudão do Sul, Salva Kiir, bem como o embaixador da Tanzânia, Stephen Simbachawene.

De recordar que o presidente queniano, Uhuru Kenyatta, anfitrião da cimeira e que preside atualmente à Comunidade da África Oriental, ja tinha pedido na semana passada o envio de uma força regional para o leste da República Democrática do Congo para restaurar a paz.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos