Governo espanhol defende maior parceria comercial com Cazaquistão

Madri, 20 abr (EFE).- A secretária de Estado de Comércio do Governo da Espanha, María Luisa Poncela, defendeu nesta sexta-feira uma maior parceria entre Espanha e Cazaquistão, um país que procura atrair novos investidores através de um plano governamental de privatizações.

Poncela participou de uma jornada realizada na sede da CEOE em Madri na qual foram analisadas as oportunidades de cooperação empresarial com a República do Cazaquistão.

"O Cazaquistão é um país que tem um plano de desenvolvimento que se fixa em uma série de setores onde a tecnologia espanhola é líder em nível mundial", disse à Agência Efe Poncela.

Entre os setores prioritários para ambos os países, a secretária de Estado de Comércio destacou as energias renováveis e as infraestruturas, áreas nas quais "a Espanha pode fazer contribuições para o desenvolvimento da economia cazaque".

As relações bilaterais foram reforçadas desde a entrada em vigor em 2010 do Acordo de Associação Estratégica, que representou a criação de uma grande plataforma de cooperação nos âmbitos políticos, econômicos e tecnológicos, assim como no setor de defesa e da cultura.

"O Cazaquistão não é somente um país de ligação entre Europa e China, mas quer aproveitar esta situação geoestratégica para desenvolver seus setores. E aí tem que estar a Espanha com o Cazaquistão em uma maior parceria ", declarou Poncela.

Além disso, o Cazaquistão procura atrair novos investidores através de um plano governamental de privatizações que tem como objetivo aumentar a representação do setor privado no PIB de 25 para 60%.

"Isso vai gerar muitas oportunidades nos setores de gás, petróleo, minerais e telecomunicações. Aí pode haver um polo de atração para que as companhias espanholas participem nesse processo de privatização", explicou o vice-presidente da Comissão de Relações Internacionais da CEOE e presidente da Seopan, Julián Núñez.

Da sua parte, o co-presidente cazaque do Conselho Empresarial Espanha-Cazaquistão e presidente da Baiterek, Aidar Arifkhanov, assegurou que "as experiências espanholas em construção e no setor público-privado são muito úteis para os cazaques".

Por isso, e segundo Arifkhabov, a holding estatal cazaque Baiterek tenta atrair investidores estrangeiros através de ajudas financeiras e vantagens fiscais. EFE