Concurso da Polícia Militar: professores dão dicas do que vai cair e como estudar

A Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro teve concurso autorizado para preencher 2 mil vagas de soldados na corporação. Apesar do edital da seleção ainda não ter sido publicado, a última semana trouxe informações importantes para quem quer começar a se preparar, como as disciplinas nas quais os candidatos serão testados. Assim, o EXTRA traz, abaixo, dicas de especialistas para a primeira etapa do processo: prova objetiva com 50 questões de Língua Portuguesa (10), Matemática Básica (10), Noções de Direitos Humanos (10), Noções de Direito Administrativo e Legislação Aplicada à Pmerj (10), e Noções de Direito Penal e Processo Penal (10).

Apesar do concurso ser de nível médio,e portanto não ser esperado um grau de cobrança tão alto na prova, o grande interesse pode dificultar a vida dos candidatos.

— Justamente por cobrar apenas o ensino médio, para a pessoa que tem entre 18 e 32 anos, é uma oportunidade muito grande de mudar de vida. Então atrai muita gente — diz Thomaz Ribeiro, mentor de estudos do preparatório Estratégia Concursos.

No concurso haverá 200 vagas para o sexo feminino (altura mínima: 1,60m) e 1.800 para o sexo masculino (altura mínima: 1,65m). Há expectativa para a cobrança de carteira de habilitação na categoria B.

A segunda etapa do concurso será uma prova discursiva de Redação e depois ainda haverá Teste de Aptidão Física, além de outras fases.

— A preparação física precisa ser concomitante aos estudos, resguardada a proporcionalidade. Não é preciso passar três horas do dia treinando para o teste físico, mas é preciso estudar três horas. Mas precisa estudar todos os dias como treinar todos os dias o corpo — recomenda Marco Birto, diretor pedagógico da Degrau Cultural: — É comprovado que fazer atividade física aumenta a eficiência nos estudos. Além disso, o tempo entre a prova objetiva e o teste físico é pequeno e ele é eliminatório.

Língua Portuguesa

Fonte: Fabíola Soares, professora do Estratégia Militares

Perfil da prova - As questões possuem enunciados curtos e claros e o certame exigirá o nível médio, portanto, não se espera uma prova com o grau de dificuldade muito alto. É uma prova com questões de interpretação e gramática, sem muitas pegadinhas.

Conteúdos mais prováveis - Em concursos militares, os exames costumam priorizar questões que cobram as regras da norma padrão da Língua Portuguesa. Com questões de interpretação e reconhecimento de tipos e gêneros textuais em menor número, o candidato deve se atentar aos conteúdos como regras de acentuação gráfica; ortografia; reconhecimento de classes gramaticais e flexões de algumas dessas classes na área da Morfologia; pontuação; regência e concordância no estudo da Sintaxe. Também é importante dar atenção às relações de sentido dos conectores, como preposições e conjunções.

Como estudar - Tenha um plano de estudos, de acordo com sua realidade. A partir disso, o candidato deve compreender os tópicos presentes no conteúdo programático, revisar o conceito desses tópicos e exercitá-los por meio de questões. É interessante tomar como base o modelo das questões anteriores da banca selecionada. Isso faz com que, no dia da prova, o candidato se sinta ambientado com o padrão e nível das questões.

Matemática Básica

Fonte: Thiago Nicol, professor da Degrau Cultural

Perfil da prova - Não terá alto grau de complexidade, já que cobrará conteúdos básicos pertinentes ao nível médio de escolaridade. Também não há tendência a pegadinhas, mas o candidato deve estar atento a interpretação dos problemas. Serão questões contextuais, como problemas de raciocínio envolvendo quatro operações fundamentais.

Conteúdos mais prováveis - Deverão ser avaliados conhecimentos em problemas envolvendo as quatro operações fundamentais; médias (aritmética simples e ponderada); regra de três simples (direta e inversa); razão e proporção; porcentagem; transformação de unidades de medidas; equações e sistemas do primeiro grau.

Como estudar - O candidato deve ter um bom resumo teórico sobre os temas da disciplina que serão cobrados . Após isso, deve praticar com questões de fixação, de nível extremamente fácil, para entender como aplicar os conceitos e fórmulas. Em seguida, a tarefa é pesquisar questões de bancas de concurso com nível maior de complexidade e principalmente da banca do concurso, quando for escolhida, esgotando se possível todas as questões anteriores desta, para que ele entenda como a banca pensa e como é seu perfil de cobrança.

Noções de Direitos Humanos

Fonte: Géssica Ehle, professora do Estratégia Concursos

Perfil da prova - Cada banca tem um perfil muito próprio na redação das questões, mas geralmente apresentam uma mescla entre dois modelos de questões: interpretação de caso concreto ou aplicação própria do dispositivo de Direitos Humanos Internacional. No primeiro caso, é narrada uma situação concreta e o candidato deve responder se houve ou não violação dos direitos humanos, a partir de uma norma de direito internacional de direitos humanos. A outra gama de questões é literal, pedindo aplicação do texto de uma convenção. Provas de Direitos Humanos não tendem a ter pegadinhas, mas sim necessidade mais densa de interpretação.

Conteúdos mais prováveisTradicionalmente é cobrada a teoria geral da afirmação histórica dos direitos humanos, mas há cada dia mais documentos que abordam os direitos humanos sendo cobrados nos concursos, como Declaração Universal, Convenção Interamericana, e práticas e políticas criadas para as populações vulneráveis. Assim, Direitos humanos na Constituição Federal é um item muito importante e as nossas normas internas de direitos humanos, como por exemplo: a Lei Maria da Penha; leis que tangenciam e preveem e tipificam o racismo; Estatuto da Pessoa com Deficiência; todas as normativas que falam sobre populações vulneráveis, como LGBTQIAP+.

Como estudar - Prepare-se com base no último edital, faça questões e comece seu estudo direcionado a partir das perguntas das últimas provas, aprofundando temas de normas que protejam os direitos das populações vulneráveis. Procure se aprofundar na temática de populações vulneráveis, buscando os julgados do Supremo Tribunal Federal.

Noções de Direito Administrativo e Legislação Aplicada à Pmerj

Fonte: Carlos Eduardo Aguiar, professor e coordenador de Concurso Público do Colégio e Curso ZeroHum

Perfil da prova - Não há um parâmetro, tendo em vista a mudança radical das matérias. Mas como pede Noções de Direito, não é esperado grau de dificuldade muito grande. Já a extensão dos enunciados das questões vai depender muito da banca.

Conteúdos mais prováveisDevem ser abordados assuntos relacionados à atividade do policial: Responsabilidade civil do Estado; Ato administrativo; Poderes e improbidade administrativa. Enquanto não sai a informação oficial, o candidato pode apostar nesses assuntos para focar os estudos.

Como estudar - Direito administrativo tem uma construção muito doutrinária, e que não se encontra codificada, então o candidato precisa iniciar o quanto antes os estudos, aliado a exercícios.

Noções de Direito Penal e Processo Penal

Fonte: Diogo Vieira, professor do Colégio e Curso ZeroHum

Perfil da prova - Ainda é um pouco embrionário traçar o perfil específico da prova de Direito Penal e Processo, porque são matérias novas neste concurso. Mas fazendo um paralelo com a disciplina de Direito Humanos, que possui grande incidência nas provas de PM, é possível prever perguntas sem um grau elevado de aprofundamento. Já se olhar para os conteúdos de Direito Penal e Processo Penal em outras provas para área de segurança, como de Guardas Municipais e Polícia Civil do Rio de Janeiro, o grau de cobrança é bastante elevado. Então, o nível de dificuldade dependerá muito do perfil da banca.

Conteúdos mais prováveis São temas diretamente ligados à função da PM. No Processo Penal, é possível listar: inquérito policial; termo circunstanciado; prisão em flagrante; provas. Em Direito Penal: normal penal em branco; tempo e lugar do crime; lei penal no tempo e espaço; teoria do delito; crimes como homicídio, roubo, furto, receptação, lesão corporal e etc.

Como estudar - A recomendação é fazer a leitura dos principais pontos do código penal e processo, construir um bom material teórico e, é claro, partir para a resolução de questões.