Condomínios criam regras para evitar confusão na busca por doces do Halloween

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Após dois anos de restrições impostas pela pandemia de Covid, condomínios de São Paulo voltam a organizar festas de Halloween ou Dia das Bruxas, tradicional data norte-americana que ganhou adeptos no Brasil.

Com as comemorações, as administrações também tiveram que criar regras específicas para o dia. As normas vão de sinalizações nas portas a horários delimitados para pedidos de doces.

As comemorações do Dia das Bruxas acontecem nesta segunda-feira (31), mas o condomínio Chácara dos Pássaros, em São Bernardo do Campo, no ABC, aproveitou o fim de semana e marcou sua festa para sábado (29).

O local, com casas no estilo americano, tem o costume de realizar grandes festas na data, a última ocorrida em 2019. Pamela Brusco, síndica do Chácara dos Pássaros, é uma das maiores entusiastas da comemoração.

"O Halloween é uma marca do condomínio. Temos até prêmio para as casas com as decorações mais animadas", diz Pamela.

Na organização do evento, a síndica também se preocupou com aqueles que preferem não aderir por diversos motivos, como religião. Por isso, foram criadas regras para priorizar o bem-estar de todos e evitar conflitos.

"A regra é: arandela acesa para quem participa e apagada para quem prefere ficar de fora. Os não participantes também receberam plaquinhas para colocar nas portas. Visitantes também são permitidos, desde que estejam previamente cadastrados", diz a síndica.

O horário definido para a festa foi das 19h às 21h30. Barraquinhas e food trucks também foram convidados para que a noite não fosse só de doces, comprados aos montes através de uma vaquinha feita pelos próprios moradores.

No condomínio Plaza Sevilha, em Santo Amaro, na zona sul da capital, foram as crianças que tomaram a iniciativa para que a festa acontecesse. "A criançada me procurou e pediu permissão para bater de porta em porta. Nós vamos entrar na brincadeira e participar", diz Rose Brandão, a síndica do local.

Por email, Rose enviou um comunicado sobre a realização do evento a todos os moradores do condomínio de apartamentos. Segundo ela, não houve oposição.

Na noite desta segunda, as crianças poderão bater de porta em porta até às 22h. Ninguém é obrigado a atender, diz a síndica. "Os moradores não atendem, mas também não vão reclamar. Estão todos avisados", afirma Rose.

Em Pirituba, na zona oeste de São Paulo, moradores do condomínio de casas Felicity House conseguiram até patrocínio para organizar sua festa de Dia das Bruxas, realizada na noite de sexta-feira (28).

Um grupo de moradores foi até o Shopping Tiête e voltou com custeio de doces, brindes de perfumaria, que foram sorteados, e até prêmios em dinheiro, de R$ 400 a R$ 250, para as casas melhor decoradas.

"Nossa festa já é costumeira, e eu sou apaixonada por uma baguncinha. Ficamos dois anos sem a realizar por conta da pandemia, mas voltamos com tudo", diz a síndica Patrícia Castelo.

A princípio só para moradores, o condomínio acabou liberando a reunião para convidados. "Uma moradora me disse que comprou uma casa aqui só pelas festas, que também seriam um atrativo para chamar a família. Não tivemos o que fazer, liberamos", declara Patrícia.

O Felicity House, com auxílio financeiro dos condôminos, reforçou a segurança para a festa.

Mais de 160 crianças participaram do evento. Pulseirinhas foram distribuídas para identificação dos participantes. As crianças só puderam pedir doces nas casas enfeitadas. A distribuição começou às 20h30 e acabou por volta das 23h.

"É superlegal, fantasias lindas, eu amo esses eventos. A gente pode até ter ficado sem a festa durante um tempo, mas não vamos deixar a tradição morrer", afirma a síndica do local.