Confederação Brasileira de Vôlei responde a boicote de atletas

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Brazil's Alison Cerutti gestures during the men's beach volleyball final match between Italy and Brazil at the Beach Volley Arena in Rio de Janeiro late on August 18, 2016, for the Rio 2016 Olympic Games. / AFP / Leon NEAL        (Photo credit should read LEON NEAL/AFP via Getty Images)
Após não inscrição de principais duplas do país no Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia, entidade respondeu. Foto: (LEON NEAL/AFP via Getty Images)

A Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) respondeu ao boicote dos principais atletas do país à primeira etapa do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia. Os atletas se uniram e decidiram não participar da disputa por insatisfação com o novo formato da competição.

Duplas como Duda e Ana Patrícia, considerada a melhor do país na atualidade e os líderes do ranking Vitor Felipe/Renato e Carol/Bárbara Seixas também optaram por não jogarem a competição. Além destes, o medalhista de ouro dos Jogos Olímpicos do Rio de 2016, Alison, também apoia o movimento.

Leia também:

Do outro lado da queda de braços, a CBV considerou a insatisfação dos atletas como financeira. Guilherme Marques, gerente da modalidade na Confederação afirma que o projeto de novo formato de competição foi apresentado à comissão de atletas no começo do mês de dezembro.

Em entrevista ao ge, o gerente explicou que: "Eles sentam na mesa com a gente, têm canal aberto para propor mudanças. E a gente vem conversando sobre esse sistema desde o início de dezembro. Eu mesmo fiz uma apresentação no dia 8 de dezembro para quatro atletas e um membro da comissão técnica. A partir dali, estava aberto para propostas e discussões. Eles têm acesso a isso há bastante tempo. Não houve reclamação formal. No dia seguinte, a comissão colocou a premiação como problema. A partir dali, não quiseram mais discutir sobre sistema de competição. A premiação é ligada à questão orçamentária, se eu tenho mais ou menos dinheiro para isso".

Os atletas colocam como principal empecilho o formato da competição, que não será mudado pela CBV. Guilherme Marques declarou que: "Nós viramos uma página, onde publicamos o regulamento, tivemos a etapa de discussões, sentamos na mesa. Agora, iniciamos a primeira etapa, em Saquarema, com atletas que querem participar. E vamos nos preparar para entregar o melhor vôlei possível. Vamos estar abertos a discussões. Mas não temos, hoje, por que pensar em alguma coisa diferente disso".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos